Uma semana decisiva

Ontem, o mundo católico iniciou a chamada Semana Santa, um dos momentos intensamente significativos e por isso mesmo, muito atacado através de várias táticas linguísticas e com certo uso de marketing de propaganda. É de se esperar que mesmo a grande maioria dos católicos não perceba a sutil batalha que se trava contra a destruição da abstração real que os homens e mulheres precisam buscar sobre todos os símbolos, gestos e palavras desta semana intensa e definitiva para a espiritualidade e compreensão da própria fé em Jesus Cristo.

A espiritualidade é fortemente fortalecida nesta semana, mas sem busca da compreensão real de tudo o que se vive nesta semana, ela passará como um enrijecimento de um sentimentalismo católico rotulado de espiritualidade, que de tão raso e pobre, acaba por transformar os eventos desta semana em mais um ciclo transitório e fútil da vida social em comunidade.


Os ataques linguísticos a que me refiro, passam desde a tônica exagerada do costume capitalista e consumista, que obviamente mira somente o lucro e a vaidade, até o vergonhoso relaxamento dos sacerdotes católicos quanto à pregação e exposição dos temas desta semana. É tão grave este último exemplo que citei, que prejudica fundamentalmente a evolução da própria fé dos católicos em Jesus Cristo, pois negligencia a estes um aprofundamento mais sério e cada vez mais completo sobre a teologia e a realidade dos mistérios divinos. Um conteúdo extenso e didaticamente pormenorizado se faz necessário sobre os eventos desta semana para a assembleia de católicos reunida nas igrejas, afinal, estamos lidando com eventos que condensam a grande maioria de tudo aquilo que compõe a Revelação de Deus aos homens, fato que somente ao ser percebido já deveria despertar a plena atenção de qualquer ser honestamente interessado com a verdade do que se vive.


Mencionei que esta semana pode ser decisiva para a fé em Jesus Cristo, e não é exagero retórico, mas pelo contrário, constatação diante da culminância de tudo o que antes ou depois dos eventos desta semana puderam terem sido explicados. Num exercício mental cada um pode comprovar o que digo: Lembrando dos Dez Mandamentos, o que entenderíamos deles em profundidade se não soubéssemos quem é Jesus Cristo e o que Ele fez em concreto para possibilitar nossa salvação eterna? E mais, só falamos de salvação eterna porque antes devemos entender que possuímos uma alma imortal que clama por uma existência junto do Criador, e esta existência junto do Criador só se torna possível por meio de Jesus Cristo e o evento da crucificação.


O que parece importante é a tomada de realidade por parte dos crentes católicos acerca do que vive-se nesta semana, uma semana decisiva para a fé no Filho de Deus, o que também nos ajuda a entender nossa própria existência.


11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Parece que muito cristão esqueceu de falar sobre Jesus Cristo, e passou a tratar sua Pessoa com algo suposto, suposto demais, podemos dizer. O que vejo é uma lamentável diluição do tema Jesus Cristo e

Neste dia completam-se 14 anos da recepção de um dos sacramentos ministrados pela Igreja Católica que visivelmente mudou minha vida. Não quero falar sobre minha dignidade ou indignidade ao recebê-lo,

Lembro das Confissões de santo Agostinho, livro fantástico que há muitos séculos inspira e edifica o espírito de pessoas honestas que desejam algo sobrenatural para elevar-se até a Verdade plena e sup