Publicações

Tomás de Aquino - Introdução à vida e à obra do grande pensador medieval

Santo Tomás de Aquino encarnou o ideal do século XIII de uma interpretação unificada da realidade, em que razão e fé se harmonizam e filosofia e teologia se complementam.

Uma das personalidades mais importantes da filosofia medieval, sua influência profunda deve-se ao modo como sintetizou o legado do pensamento antigo e a doutrina cristã numa época em que a reflexão filosófica do Ocidente se abria a vertentes gregas e islâmicas.

Útil tanto para o especialista quanto para o leitor comum, esta introdução do Pe. Copleston ao pensamento do grande teólogo dominicano estabelece conexões, onde quer que seja possível, entre as idéias do Doutor Angélico e problemas da atualidade.

15270-515x800.jpg

Aristóteles em Nova Perspectiva

Há embutida nas obras de Aristóteles uma idéia medular, que escapou à percepção de quase todos os seus leitores e comentaristas, da Antiguidade até hoje. Mesmo aqueles que a perceberam – e foram apenas dois, que eu saiba, ao longo dos milênios – limitaram-se a anotá-la de passagem, sem lhe atribuir explicitamente uma importância decisiva para a compreensão da filosofia de Aristóteles.

No entanto, ela é a chave mesma dessa compreensão, se por compreensão se entende o ato de captar a unidade do pensamento de um homem desde suas próprias intenções e valores, em vez de julgá-lo de fora ato que implica respeitar cuidadosamente o inexpresso e o subentendido, em vez de sufocá-lo na idolatria do “texto” coisificado, túmulo do pensamento. A essa idéia denomino Teoria dos Quatro Discursos. Pode ser resumida em uma frase: o discurso humano é uma potência única, que se atualiza de quatro maneiras diversas: a poética, a retórica, a dialética e a analítica (lógica).

AristotelesEmNovaPerspectivaOlavo-515x800.png

A Nova Era e a Revolução Cultural: Fritjof Capra & Antonio Gramsci

“A ‘Nova Era’ da qual Fritjof Capra se tornou festejado porta-voz e a ‘Revolução Cultural’ de Antonio Gramsci têm algo em comum: ambas pretendem introduzir no espírito humano modificações vastas, profundas e irreversíveis. Ambas convocam à ruptura com o passado, e propõem à humanidade um novo céu e uma nova terra. A primeira vem alcançando imensa repercussão nos círculos científicos e empresariais brasileiros. A segunda, sem fazer tanto barulho, exerce há três décadas uma influência marcante no c urso da vida política e cultural neste país. Nenhuma das duas foi jamais submetida ao mais breve exame crítico. Aceitas por mera simpatia à primeira vista, penetram, propagam-se, ganham poder sobre as consciências, tornam-se forças decisivas na condução da vida de milhões de pessoas que jamais ouviram falar delas, mas que padecem os efeitos do seu impacto cultural. Para os adeptos e propagadores conscientes das duas novas propostas, nada mais reconfortante do que a passividade atônita com que o público letrado brasileiro tudo recebe, tudo admite, tudo absorve e copia, com aquele talento para a imitação maquinal que compensa a falta de verdadeira inteligência”.

ae3e25d76060nova-era-e-revolucao-cultural-fritjof-capra-antonio-gramsci-capa.jpg