Percepção da realidade e evolução humana

No dia de ontem, escrevia no meu diário de pensamentos cotidianos:


Se a percepção intelectual do indivíduo está necessariamente orientada pelo sentido democrático e consensual, então está falida a racionalidade e a própria evolução humana sentencia sua morte. (02/06/2022 in www.valderi.com.br/diario)


Destaquei pelo menos duas ideias neste dia: A ideia de percepção da realidade pelo intelecto humano e a ideia de evolução humana tendo como base a vida intelectual.


Primeiramente parece-me importante abordar a questão da capacidade humana de perceber a realidade mesmo das coisas existentes, pois é a partir desta capacidade bem exercida que conseguiremos ser mais eficientes na hora de encontrarmos a verdade nos eventos humanos que se apresentam diante de nós, que acabam pedindo e quase que nos obrigando a emitirmos juízo sobre o que vemos e ouvimos. Na sociedade humana, desde o micro local até o macro ambiente onde vivemos, praticamente todos os dias somos obrigados a dizer sim ou não para atitudes e pessoas que expõem-se de maneira a lucrar algum benefício seja financeiro ou de mero poder político. Parece imprescindível esta capacidade de captação real da verdade em meio à bruma das opiniões e manobras oratórias e linguísticas que sempre acompanham os eventos em si.


Esta capacidade de percepção intelectual faz parte do movimento interior do ser humano que, associado aos sentidos externos, “produz” o conhecimento sobre o mundo. Todas as doenças intelectuais, caracterizadas pela distorção da realidade que se apresenta a nós, nada mais é do que uma interrupção deste processo gnosiológico de conhecimento. As chamadas “alienações” só funcionam naqueles que sofrem desta doença curável, mas que possuem certa dificuldade no processo de restauração da integralidade do processo de percepção da realidade.


Outra ideia que destaquei foi a de evolução do ser humano a partir do intelecto. Algo razoável de se aceitar quando se leva em consideração o que já disse até aqui sobre a percepção da realidade. Uma pessoa com dificuldades para enxergar quase nunca atingirá a mesma perfeição que outra com plena capacidade de visão quando se trata de alguma tarefa artesanal. De modo que, o ser humano pode evoluir e na verdade deve, mas isso só acontecerá diante de uma vida intelectual ativa e saudável, onde a “domesticação” pelo consenso da maioria não se transforme no orientador, no ditame substituidor da consciência e da razão.


14 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Claro que o esforço intelectual do ser humano não pode ficar somente em torno do fenômeno do emburrecimento em massa a qual uma parcela significativa da humanidade se submete. Mas considero também fun

Continuando o assunto do artigo anterior, o suposto “otimismo exagerado” que possa revelar no que toca ao futuro da nação brasileira não tem relação com algum tipo de esperança momentânea, do tipo sen

Tenho deixado registrado algumas vezes em meu diário filosófico, ideias de inevitável crescimento cultural e moral da nação brasileira como um todo. Levando em consideração que a majoritária imagem q