FIRMEZA NAS DECISÕES

Naturalmente uma pessoa pode ir com o tempo, formando sua personalidade. Isto implica também que aos poucos vai, a medida que assimila e forma em si valores e critérios, tomando decisões e fazendo escolhas com firmeza, ou seja, com critérios e valores.


O ser humano é mais complexo que se pode perceber ou previamente projetar ou organizar. E isto já foi mais que provado ao longo da história. Durante sua vida pode ocorrer tudo conforme ele previamente almejou ou “desenhou” para seu futuro. Mas pode também ao longo de sua trajetória deparar-se com algum fato novo e inusitado, algo que possa fazer com que ele pense: “mas isto é superável, porque não consigo?”


Podemos imaginar logo que é falta de algo que ele deveria ter algo na sua formação interior, algo que está fraco e que só agora se percebe que é um ponto sensível nele. Porém, pensando assim, pode-se negligenciar outro lado possível. Pode realmente o ser humano deparar-se com algo imprevisto em sua vida, e diante disso tomar uma atitude que resuma todas as dimensões que nele há? Falo da mescla de critérios baseados na ordem natural, na lei divina e positiva com seus mais puros e fortes “sentimentos” que o leva a algo diferente do que o “mundo” dele esperava.


É possível ser fiel parecendo infiel? É possível amar, quando se faz algo parecendo menosprezá-lo?


Pax Christi

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Claro que o esforço intelectual do ser humano não pode ficar somente em torno do fenômeno do emburrecimento em massa a qual uma parcela significativa da humanidade se submete. Mas considero também fun

Parece que todo ano preciso destacar coisas óbvias para mim, mas nem tanto para outros na Igreja Católica. A fidelidade à Igreja e a obediência ao Papa não podem continuarem a ser instrumentalizadas p

Continuando o assunto do artigo anterior, o suposto “otimismo exagerado” que possa revelar no que toca ao futuro da nação brasileira não tem relação com algum tipo de esperança momentânea, do tipo sen