"CRISTIANISMOS ADAPTADOS" [6]

Neste tema de "Sacerdócio e vida laical" venho mencionando a incoerência dos cristãos católicos que não coadunam fé-vida em suas vidas. Deixo claro que não incluo-me num grupo de perfeitos, sem defeitos como cristão batizado que sou, mas pelo contrário, estas reflexões que faço servem primeiramente para mim, para realinhamento de minha postura.

Neste post, e diante da contemporânea confusão que vive a sociedade me faço obrigado a citar uma leva de cristãos batizados que insiste em defender falsos conceitos de liberdade pessoal que os levam a defender as atitudes mais horrendas e pecaminosas que se pode imaginar. A mais terrível delas, a meu ver, se trata do aborto.

Mulheres (em sua maioria) mau informadas sobre questões de fé e de ciência, acabam apoiando certas manifestações ateias sobre a concepção humana, a mais recente se refere a um grupo de artistas de novelas de uma das emissoras mais famosas deste país que claramente apoia o aborto livre, e se não bastasse isso blasfema contra Nossa Senhora da forma mais vil e podre que só uma mente doente consegue conceber.

Num país cristão (de maioria) não respeitar uma das figuras símbolos da fé é causa de grave ataque e motivo de intervenção judicial imediata. Mas pessoalmente não creio que isso irá acontecer pelo 'amorfamento' de nossos juízes e advogados, mais preocupados com os ladrões de galinhas.

Mas o que mais me deixa intrigado é a manifestação clemente de muitos cristãos católicos. Se não querem se meter no assunto "aborto", pelo menos mostrem sua indignação contra a blasfêmia feita à Mãe de Deus, Maria Sempre Virgem e Concebida sem pecado.

Realmente desejo, aumentar meu ânimo em defender minha fé neste mundo cada vez mais caótico, e contar com milhares de irmãos junto de mim.


0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Muitas vezes fico pensando nas inúmeras coisas que já escrevi sobre a crise na Igreja Católica que se arrasta há décadas. Em 2018 tivemos o fatídico sínodo da Amazônia, realizado em Roma, que deixou c

Parece que todo ano preciso destacar coisas óbvias para mim, mas nem tanto para outros na Igreja Católica. A fidelidade à Igreja e a obediência ao Papa não podem continuarem a ser instrumentalizadas p

Parece que muito cristão esqueceu de falar sobre Jesus Cristo, e passou a tratar sua Pessoa com algo suposto, suposto demais, podemos dizer. O que vejo é uma lamentável diluição do tema Jesus Cristo e