Menu do site ☰

Programas do Valderi Silva na internet ☰

≡≡ LEITURA RECOMENDADA

O conservador na guerra hermenêutica

Contra tudo o que pode parecer comum no mundo atual, o conservador não deixa-se levar pelas pressões sociais e grupais, que muitas vezes cobram altos preços pela aquesciencia ou pelo enfrentamento de ideias e posturas sem nenhum fundamento na realidade, sem nenhuma obediência a natureza mesmo das coisas criadas e sustentadas pelo Criador. 

Claro que a imensa maioria destas ideias e posturas que pressionam o conservador originam-se de mentes negadoras da existência de Deus ou negam sua fundamental influência no mundo e na história, o que faz com  estas ideias e posturas já desenvolvam-se alienadas da ideia de um criador e sustentador da existência em seu ser. Esse pressuposto já traz um bom motivo para que o conservador desconfie de qualquer "boa ação" ou "boa intenção" que possa ser apresentada a ele, sendo patrocinada e impulsionada por quem pressupostamente desconsidera o fundamento da realidade existente.

Já escrevi aqui sobre a fundamental insistência da mente conservadora em ler e estudar sempre, para não cair no armadilha de quem deseja ardilosamente lhe pegar mais adiante no tempo. Nunca se deve esquecer que, apesar da realidade ser o que é, e que as realidade visíveis não mudam em sua essência, as manifestações dela podem mudar e consequentemente as maneiras de descreve-las e apresenta-las, o que facilmente pode levar muitos a falsa ilusão de que é a linguagem quem determina a natureza das coisas e dos seres. 

O cenário político da modernidade é repleto de exemplos de como o conservador luta nesta guerra hermenêutica, que traz de tempos em tempos as mesmas batalhas pela revolução terminológica de posturas e classificações na tentativa de moldar ou remodelar a essência mesmo das coisas e dos seres. O que há décadas atrás se falava da errônea compreensão de algumas pessoas sobre a adoção de cachorros e gatos como "filhos", agora retoma-se em passos mais perigosos, como chamar um feto de coisa sem vida, de resto orgânico como se fosse fezes a serem expelidas ou qualquer protuberância no corpo. Esta guerra hermenêutica da modernidade, deve fazer as mentes conservadoras de nosso tempo trabalhar ainda mais pela ordem natural do mundo, pela hierarquia da existência onde o mundo visível só existe por conta de Deus que o sustenta. A exigência pela conservação da ordem e da saúde mental dos seres humanos é tarefa de hoje e de amanhã, pois não teremos descanso.

Leia, estude e escreva. Fale pouco e pense mais. Conselhos para quem ainda deseja contribuir para a paz e para a vida de todos. 

Imprimir Página

Comentários

Publicação mais visitada do site no último ano:

Carta de um leigo a Dom Benedito Beni dos Santos a respetio da “Missa Sertaneja” celebrada pela Comunidade Canção Nova