Pular para o conteúdo principal

≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡ LEITURA RECOMENDADA ≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡

BEM VINDO

Cooperatores veritatis

É verão e esta chovendo, aquelas típicas chuvas de verão, rápidas e de violência amena o suficiente para refrescar o ambiente. O calor excessivo não me anima a escrever, mas a chuva faz este trabalho de animação, e por isso estou aqui para escrever sobre um assunto ou ideia que estava engavetada com muitas outras.

Quando falamos nos estudos acadêmicos em "buscar a verdade", "transmitir a verdade", "servir a verdade" ou mesmo em "obedecer a verdade" muitas vezes pressupõe-se a realidade VERDADE que pode-se simplesmente apresentá-la como Aristóteles, mas a verdade mesmo é uma PESSOA, e escrevo em caixa alta porque refiro-me a Deus mesmo, o Criador por excelência, fonte de toda a realidade existente. De fato, nada existe sem a consciência Divina que existe pensando em tudo e em todos, já que o seu esquecimento de alguma realidade significaria a inexistência desta realidade. Se você não chegou a esta certeza da dependência da realidade do pensamento de Deus, sinto muito e com certeza não aproveitará nada do que escrevo.


Mas meu assunto aqui não é a existência ou não de Deus, ou mesmo a manutenção da realidade por Ele. Falo aqui da nossa relação com a realidade e consequente verdade existente no mundo, algo tão idiotamente banalizado nos últimos tempos e que de modo tão surreal vem sendo aceito pela grande massa dos seres humanos dotados de razão.

O que somos diante da verdade que grita aos nosso olhos? Como deve ser nossa postura? O que devemos fazer?

Para mim esta claro que somos simplesmente cooperadores da verdade, esta que não é inventada por nós nem mesmo criada por nossas forças. Cooperados, ajudantes, colaboradores da verdade que existe aquém de nossa existência, aquém de nossos gostos e caprichos. Podemos talvez não gostar de algumas parcelas da realidade que se apresentam a nós, mas estas não modificam a REALIDADE essencial das coisas criadas, e consequentemente não modificam ou "atualizam" a VERDADE como tal.

Por este motivo parece-me tão importante dar eco a esta ideia que não é minha, mas que vem sendo esquecida pela grande massa dos seres humanos racionais: a VERDADE é autônoma, ela não se cria em nossa cabeça, nós é que devemos apreendê-la da realidade através da observação e da contemplação. Não existe esta história de "a minha verdade é esta" - como se existisse várias "verdades" -, o que existe é a preguiça e a obtusidade típica de mentes rasas, sem profundidade, sem transcendentalidade que desejam se ater no mero carpe diem materialista. Injusto e imorais são esta mentes pois negam a VERDADE a cooperação que devemos a ela pela nossa própria existência.

Publicação mais visitada do site no último ano:

Objetos de Devoção