Pular para o conteúdo principal

≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡ LEITURA RECOMENDADA ≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡

Cooperatores veritatis

É verão e esta chovendo, aquelas típicas chuvas de verão, rápidas e de violência amena o suficiente para refrescar o ambiente. O calor excessivo não me anima a escrever, mas a chuva faz este trabalho de animação, e por isso estou aqui para escrever sobre um assunto ou ideia que estava engavetada com muitas outras. Quando falamos nos estudos acadêmicos em "buscar a verdade", "transmitir a verdade", "servir a verdade" ou mesmo em "obedecer a verdade" muitas vezes pressupõe-se a realidade VERDADE que pode-se simplesmente apresentá-la como Aristóteles, mas a verdade mesmo é uma PESSOA, e escrevo em caixa alta porque refiro-me a Deus mesmo, o Criador por excelência, fonte de toda a realidade existente. De fato, nada existe sem a consciência Divina que existe pensando em tudo e em todos, já que o seu esquecimento de alguma realidade significaria a inexistência desta realidade. Se você não chegou a esta certeza da dependência da realidade do pensamento

≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡


Bispo suíço: Francisco eclipsa Jesus como "único salvador"

Abaixo um artigo de setembro de 2019 para reforçar meu artigo sobre a "Declaração sobre a Fraternidade Humana", assinada pelo Papa Francisco e o Grande Imame.
-------------
Do site Glória.Tv

Na Declaração de Abu Dhabi de Francisco, a "meditação única e universal" de Cristo está "eclipsada", escreveu o bispo auxiliar de Chur - Suíça, Marian Eleganti, em uma declaração de 6 de setembro em LifeSiteNews.com.

Eleganti ressaltou que Deus não contradiz a si mesmo como a declaração insinua: "ele não pode querer heterogeneidade de ideias sobre Ele e, portanto, a pluralidade de religiões que contradizem umas às outras".

O bispo dá o exemplo do Islã, que entende a si mesmo como uma "religião explicitamente anticristã" e nega a essência da cristandade: a filiação divina de Cristo e a Trindade.

Além disso, ele enfatiza que a Declaração de Abu Dhabi favorece um conceito relativístico e político de paz entre as religiões, o qual sempre falhou.

E mais: a "ilusão" de uma coexistência pacífica de religiões que se contradizem tem uma armadilha: a negação de Cristo, acrescenta Eleganti.

Publicação mais visitada do site no último ano:

Objetos de Devoção