Pular para o conteúdo principal

≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡ LEITURA RECOMENDADA ≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡

Marx e os seus dominaram a educação brasileira

Que os livros didáticos oferecidos paras as escolas no Brasil inteiro serem fundamentados em figuras como Paulo Freire, Michel de Foucault, Jonh Dewey, Antonio Gramnsci e Jean-Jacques Rosseau, é um fato notório, e basta qualquer passada de olhos nestes mesmos livros que os professores usam em suas aulas e os que eles mesmos utilizam para se formarem, para notarmos a ideologia social presente destes senhores acima citado em todos os campos do conhecimento, em todas as áreas, pois se focaram não no conteúdo em si das matérias mas na forma, na didática utilizada, tornando assim qualquer matéria meio de formação segundo a ideologia que desejam fixar nas gerações. No trecho destacado abaixo, percebe-se o porque existe uma mudez nacional acerca desta formação ideológica ministrada nas escolas por quase todos os professores. Tirado do site Wikipedia O final deste trecho é o mais importante, pois é através dele que podemos perceber a profundidade e extensão do problema a se enfrentar. As obras

BEM VINDO

"Parece que vislumbramos a sombra que se aproxima da sinagoga de Satanás".

Em um texto novo, publicado em LifeSiteNews.com (31 de janeiro), o arcebispo Viganò revelou mais detalhes sórdidos sobre como Francisco está abusando do seu ofício.

Cardeal Viganò, disfarçado durante protesto silencioso de leigos na Alemanha contra o Sínodo Alemão

A questão diz respeito a "outra obra-prima do engano": a eleição do novo decano e do novo vice-decano do Colégio dos Cardeais.

Já em junho de 2018, Francisco aumentou o número de cardeais-bispos de modo a assegurar uma maioria a seu favor, observa Viganò. A eleição do cardeal Re, de 86 anos, como o novo decano é, para ele, uma "cobertura", pois por razões de idade, a tarefa de Re durante o próximo conclave será executada pelo vice-decano e fantoche de Francisco: o cardeal Sandri.

Viganò revela que Sandri ajudou o então secretário de Estado, o cardeal Angelo Sodano, a encobrir os escândalos em torno do padre Maciel, Fundador dos Legionários de Cristo.

Em 2000, o arcebispo Justo Mullor (+2016) foi removido como núncio no México, porque se opôs às diretrizes de Sodano para encobrir as acusações contra Maciel. Mullor foi substituído por uma pessoa leal a Sodano: Sandri.

Isso implicava transferir Sandri depois de apenas dois anos na Venezuela para o México, mudar Mullor somente após dois anos e meio do México para Roma, como presidente da Pontifícia Academia Eclesiástica, embora seu antecessor, o arcebispo Zur, estivesse lá por apenas um ano. Seis meses depois, Sandri foi nomeado substituto de Sodano.

Os legionários não deixaram de mostrar sua gratidão a Sandri. Depois que ele foi cardeal em 2007, se desculpou por sua ausência em um almoço em homenagem aos novos cardeais, dizendo a Bento XVI: "eu sou esperado por quinhentos dos meus convidados nos Legionários de Cristo".

De acordo com Viganò, Francisco está " exibindo o clericalismo mais inescrupuloso", preparando Sandri para presidir o próximo conclave.

"Parece que vislumbramos a sombra que se aproxima da sinagoga de Satanás".

Publicação mais visitada do site no último ano:

Objetos de Devoção