Pular para o conteúdo principal

POSTAGEM EM DESTAQUE:

Igreja que não converte mais ninguém

Que existe uma profunda e evidente crise dentro da Igreja Católica a grande maioria dos seres racionais já conseguiu perceber. O que para muitos destes é ainda obscuro é a raiz disso e a postura que se deve tomar para ajudar a sanar tal crise. Não é simples ou fácil elucidar isso, eu mesmo não o posso fazer, mas aproximações reais a esta crise e a posição a qual devemos ter são possíveis e reais diante de um honesto esforço. Ouso dizer que, mesmo Joseph Ratzinger, que na minha opinião é o maior teólogo vivo, não conseguiu ou não quis apresentar o panorama real e profundo desta crise e sua raiz que esta mais atrás do que muita gente pensa. Hoje o esforço analítico é deveras enorme, pois muitos que poderiam já terem apresentado trabalhos sobre isso, aparentemente resolveram calar-se ou mesmo guardar para si, por medo ou intimidações variadas, suas análises sobre este tema. É grande o trabalho de compreensão e de inúmeras influências e inúmeras consequências de tudo o que nos fez chegar a

Simonia na Igreja Católica na Alemanha

Católicos na Alemanha têm que pagar imposto religioso se quiserem ter direito a receber os sacramentos da Igreja, como comunhão, confirmação ou funeral cristão. Nesta quarta-feira (26/09/2012), o Tribunal Administrativo Federal alemão, uma das mais altas cortes do país, determinou que um católico que declare formalmente seu afastamento da Igreja para não pagar a contribuição mensal também perde o direito de participar de seus ritos. (DW)
A Alemanha esta prestes a "bater o martelo" na separação definitiva (cisma) com a Tradição da Igreja Católica. Se não bastasse a conformação da Conferência Episcopal Alemã (DBK) à chamada lei do imposto religioso, ou imposto da igreja - Kirchensteuer -, conforme o destaque acima de uma notícia de 2012, agora os bispos alemãs se preparam para promover seu sínodo particular (no link, site do "caminho sinodal alemão), aos moldes do que foi o polêmico Sínodo da Amazônia, realizado em Roma no final do ano passado.

Neste país os católicos já são a minoria a muito tempo, e cada vez mais se percebe a falta de vocações para a vida religiosa e sacerdotal, fato este que não tenho dúvidas, recai sobre a vida mundana do clero alemão, especialmente dos bispos.

A Alemanha, historicamente já reflete a falta de continuidade no verdadeiro caminho do Evangelho de Nosso Senhor, passando pela revolução protestante e também pelo nazismo que revelou a face medonha da formação de caráter de muitos alemães, muito por conta da ideologia protestante que mutila a razão humana da luz da fé.

O termo "simonia" no dicionário revela o erro ao qual este adjetivo se refere: "Comércio ilícito de bens espirituais, de coisas sagradas, de benefícios eclesiásticos" (Dicionário Michaelis), ou seja, a VENDA literal de acesso aos sacramentos administrados pela Igreja de Cristo. 

Lendo a notícia de 2012, que destaquei no início deste artigo se pode tirar a conclusão simples e pura de que a Conferência Episcopal Alemã está definitivamente exercendo o crime e pecado de simonia, esta vendendo o acesso de direito de todo o cristão católico aos sacramentos de que a vida cristã necessita para a comunhão com Deus e sua santificação.

O arrogante Cardeal Marx, atual presidente da Conferência Episcopal Alemã, mesmo tendo escandalosamente reformado sua residência em Roma com milhares de euros deste imposto, pretende levar até a consumação este cisma da Igreja Católica na Alemanha com a Tradição de mais de dois mil anos. O que presenciamos nestes tempos revelam a baixeza da formação do clero católico no mundo que ocorre desde o Concílio Vaticano II. 

Tempos tenebrosos se aproximam dos católicos no mundo inteiro.

Publicação mais visitada do site no último ano:

Objetos de Devoção