Pular para o conteúdo principal

POSTAGEM EM DESTAQUE:

Igreja que não converte mais ninguém

Que existe uma profunda e evidente crise dentro da Igreja Católica a grande maioria dos seres racionais já conseguiu perceber. O que para muitos destes é ainda obscuro é a raiz disso e a postura que se deve tomar para ajudar a sanar tal crise. Não é simples ou fácil elucidar isso, eu mesmo não o posso fazer, mas aproximações reais a esta crise e a posição a qual devemos ter são possíveis e reais diante de um honesto esforço. Ouso dizer que, mesmo Joseph Ratzinger, que na minha opinião é o maior teólogo vivo, não conseguiu ou não quis apresentar o panorama real e profundo desta crise e sua raiz que esta mais atrás do que muita gente pensa. Hoje o esforço analítico é deveras enorme, pois muitos que poderiam já terem apresentado trabalhos sobre isso, aparentemente resolveram calar-se ou mesmo guardar para si, por medo ou intimidações variadas, suas análises sobre este tema. É grande o trabalho de compreensão e de inúmeras influências e inúmeras consequências de tudo o que nos fez chegar a

"Portanto, é nosso dever adverti-lo novamente sobre os perigos do comunismo"

Arcebispo Lefebvre e a política: "Portanto, é nosso dever adverti-lo novamente sobre os perigos do comunismo"
Tradução do francês: Blog VALDERI (TL) 
Papa Pio XII nomeou delegado apostólico o Arcebispo Lefebvre para a África de língua francesa (mais de 40 dioceses)

Nossos queridos irmãos,

Já divulgamos a você o texto oficial do Decreto do Santo Ofício, aprovado pelo NS Padre Papa, datado de 1º de julho de 1949. Acreditamos que chegou a hora de primeiro fazer um breve comentário e adicione algumas considerações e algumas diretrizes.

Este decreto não é político nem social; é religioso; visa o comunismo, pois se baseia em uma doutrina materialista e anticristã. Duas medidas muito específicas podem ser distinguidas neste decreto:

- Uma primeira medida de excomunhão contra aqueles que defendem e propagam a doutrina materialista e anticristã do comunismo.

- Uma segunda medida que consiste na privação dos sacramentos para aqueles que, direta ou indiretamente, apoiam uma doutrina ou uma atividade anti-religiosa, mesmo que se abstivessem de professar essa doutrina, desde que conhecessem a efeito pernicioso de sua assistência e que a trazem livremente.

É dever da Igreja abrir os olhos de seus filhos para tudo o que é um perigo para a fé e a moral e, consequentemente, os privaria da vida eterna. Nosso Senhor amaldiçoou os fariseus e os escribas que, a pretexto da religião, fizeram com que os fiéis falhassem no preceito da caridade para com Deus e com o próximo. Ao longo dos séculos, a Igreja, assim que prevê um perigo de perdição para seus filhos, adverte-os maternalmente a tomarem cuidado e, se necessário, ameaça um ou outro para removê-lo da aprisco, se for uma ocasião de escândalo para seus irmãos.

Hoje, diante do perigo de uma doutrina perversa, que está se espalhando pelo mundo nas mais diversas formas e que se chama comunismo, o Chefe da Igreja, sempre vigilante, nos adverte a tomar cuidado. Ele revela, sob a defesa dos fracos e oprimidos, sob a aparência de idéias generosas de igualdade e liberdade, ódio a Deus, a escravidão do homem, a ausência de toda piedade e toda caridade. Depois de procrastinar por muitos anos, depois de ter esperado muito tempo pelos fatos para confirmar as palavras, nosso Santo Padre, o Papa, apesar da dor que sente ao se ver talvez incompreendido por muitos de seus filhos, condena o comunismo como uma doutrina que devemos considerar detestável, porque é contrária a tudo que é divino.

Para nós, queridos irmãos, sempre ouvindo a voz do Sucessor de Pedro, daquele a quem Nosso Senhor disse: "Alimente meus cordeiros, alimente minhas ovelhas", comunicamos-lhe fielmente o Decreto do Santo Ofício indicando a condenação do comunismo e o cumprimento das penalidades previstas pela legislação da Igreja contra aqueles que não se submetessem. Ansioso para mantê-lo na verdadeira fé, para adverti-lo contra tudo o que pode distanciar você do seu apego a Cristo e à Igreja, contra tudo o que pode levá-lo para fora do caminho que leva à vida eterna, consciente de nossa grave responsabilidade, parecia-nos que deveríamos adverti-lo novamente, com repetidos impulsos, do perigo que a disseminação do comunismo na África representa para sua fé.

Aqui como na Europa, as táticas são as mesmas. Os defensores do comunismo proclamam que não querem religião. Mas sabemos muito bem quanto essas reivindicações valem. É por razões de propaganda, como Lenin diz explicitamente, que os líderes comunistas estão protestando contra serem oponentes da religião. Mas os fatos são inegáveis: onde quer que o comunismo tenha se enraizado, a religião foi privada de seus direitos e depois violentamente perseguida. "Cuidado com os falsos profetas, diz Nosso Senhor, eles vêm a você em pele de ovelha enquanto devoram lobos. "

Nos últimos anos, com mais ou menos sucesso, o comunismo trazido por elementos estrangeiros se estabeleceu na África. Através da imprensa, através da ajuda insidiosa oferecida a certos movimentos ou grupos, ele propaga sua doutrina e métodos prejudiciais; por ajuda financeira e material a certas personalidades, que não faltam de boa fé, ele adquiriu uma influência que sua imprensa, cheia de mentiras e promessas enganosas, credenciava a muitos africanos desinformados. Não vemos escrito em um jornal desse tipo da AOF: "Nossos mestres são Marx, Engels, Lenin, Stalin"? Esses Mestres não podem ser seus. Esta impressora não pode ser sua.

Certas instruções, dadas a essa Seção em um Território, mostram claramente quais são as provisões daqueles que as deram: "A ação dos Pais e dos Marabus, nesta área, não pode ser ignorada em silêncio: portadores da mensagem do Cristo ou Muhammad, eles são os cúmplices mais perigosos dos Trusts e da Administração nos países colonizados. Seu primeiro objetivo será, portanto, destruir esse monstruoso engano religioso. Na opinião pública, em geral, para combater todos os equívocos religiosos, tanto entre as massas cristãs quanto entre os islamizados."

Um católico não pode seguir tais líderes. Longe de mim culpar todos os esforços envidados para aplicar maior justiça, com vistas ao avanço do meio social, com vistas a um desenvolvimento intelectual e moral mais perfeito. Os esforços serão ainda mais frutíferos, pois serão realizados de acordo com as leis naturais de todo progresso humano, governadas pelas quatro virtudes fundamentais da justiça, prudência, força, temperança. Violência, injustiça, pressa, intemperança são contrárias a toda civilização. Longe de nós desacreditarmos grupos que, com base nesses princípios, uniriam esses esforços para obter um resultado mais satisfatório! Mas seria uma imprudência desastrosa vincular esses esforços louváveis a grupos políticos metropolitanos cuja doutrina é totalmente contrária à verdadeira evolução, que não pode existir sem o amor de Deus e do próximo.

Portanto, é nosso dever alertá-lo novamente. Esperamos, queridos fiéis, que não tenhamos que intervir de maneira mais séria, para fazer você entender o dever urgente de não prestar seu apoio, direta ou indiretamente, ao movimento comunista. Normalmente lendo a imprensa, geralmente dando seus votos e sua aprovação ao Partido Comunista, mesmo que você não professe sua doutrina, você está obstruindo o Reino de Nosso Senhor JESUS CRISTO, única fonte de todo bem, de toda graça de todos. presente dado aos homens nesta terra.

Convencidos de que serão dóceis à voz de seu pastor e, como sinal dessa docilidade, pedimos a Nosso Senhor e Sua Santa Mãe que espalhem abundantes bênçãos em você e em todos aqueles que lhe são queridos.

8 de fevereiro de 1950

Publicação mais visitada do site no último ano:

Objetos de Devoção