Pular para o conteúdo principal

≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡ LEITURA RECOMENDADA ≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡

Marx e os seus dominaram a educação brasileira

Que os livros didáticos oferecidos paras as escolas no Brasil inteiro serem fundamentados em figuras como Paulo Freire, Michel de Foucault, Jonh Dewey, Antonio Gramnsci e Jean-Jacques Rosseau, é um fato notório, e basta qualquer passada de olhos nestes mesmos livros que os professores usam em suas aulas e os que eles mesmos utilizam para se formarem, para notarmos a ideologia social presente destes senhores acima citado em todos os campos do conhecimento, em todas as áreas, pois se focaram não no conteúdo em si das matérias mas na forma, na didática utilizada, tornando assim qualquer matéria meio de formação segundo a ideologia que desejam fixar nas gerações. No trecho destacado abaixo, percebe-se o porque existe uma mudez nacional acerca desta formação ideológica ministrada nas escolas por quase todos os professores. Tirado do site Wikipedia O final deste trecho é o mais importante, pois é através dele que podemos perceber a profundidade e extensão do problema a se enfrentar. As obras

BEM VINDO

Teólogo sem filosofia não existe

Muitas pessoas percebem uma certa involução nas indivíduos que formam-se em alguma área específica do conhecimento, mas não parece tão fácil deixar claro o que leva a esta involução. Dados como a má formação dos professores de nível superior que acabam lecionando nas academias e universidades pode ser uma estrada a percorrer para verificarmos esta decadência nos formados nas mais diversas áreas.

Aqui menciono somente aquela área que faz parte de minha formação, a ciência teológica. 

Na área de ciências humanas a teologia resiste a um mundo cada vez mais fragmentado nas universidades, mas nem sempre foi assim. Nesta mesma área encontramos a filosofia e estas duas tem muito em comum, além da mesma "família" de estudos humanos.

Precisamos entender que um teólogo - que faça jus ao título! - necessita de um esforço filosófico na estatura das imensas questões teológicas que se impõe ao ser humano. E pode-se começar pelas próprias definições que somente existem de maneira clara e sem leituras dúbias por causa do estudo filosófico que esforça-se por perscrutar a essência dos seres e coisas, desde um grão de poeira até a existência divina sem forma, tempo e composição. 

Hoje encontramos muita gente que cursa um itinerário de estudos em universidades particulares, federais, estaduais ou estas a distância, e após seu término logo julgam-se "teólogos" como se um simples curso, independente de onde foi feito, lhe outorgasse a sabedoria, esforço e produção científica suficiente para considerar-se teólogo. A mesma coisa vale para aquele que dedica-se a filosofia.

Nas redes sociais encontramos inúmeros perfis que dizem-se "teólogos", mas que não passam de comentadores de sociologia religiosa, até porque ciência não se faz em redes sociais, como tenho dito desde que abri minha primeira conta nestas redes.

É por isso que afirmo a inexistência do teólogo sem um esforço acadêmico brutal e honesto no campo filosófico. A filosofia é fundamental para fazer teologia como ciência, e ciência que auxilie a condução daqueles que não dedicam-se a ela para uma compreensão clara e objetiva da verdade. Este objetivo somente é possível com a reflexão prévia da filosofia sobre o ser, sobre o viver, sobre o existir.

Publicação mais visitada do site no último ano:

Objetos de Devoção