Pular para o conteúdo principal

≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡ LEITURA RECOMENDADA ≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡

Marx e os seus dominaram a educação brasileira

Que os livros didáticos oferecidos paras as escolas no Brasil inteiro serem fundamentados em figuras como Paulo Freire, Michel de Foucault, Jonh Dewey, Antonio Gramnsci e Jean-Jacques Rosseau, é um fato notório, e basta qualquer passada de olhos nestes mesmos livros que os professores usam em suas aulas e os que eles mesmos utilizam para se formarem, para notarmos a ideologia social presente destes senhores acima citado em todos os campos do conhecimento, em todas as áreas, pois se focaram não no conteúdo em si das matérias mas na forma, na didática utilizada, tornando assim qualquer matéria meio de formação segundo a ideologia que desejam fixar nas gerações. No trecho destacado abaixo, percebe-se o porque existe uma mudez nacional acerca desta formação ideológica ministrada nas escolas por quase todos os professores. Tirado do site Wikipedia O final deste trecho é o mais importante, pois é através dele que podemos perceber a profundidade e extensão do problema a se enfrentar. As obras

BEM VINDO

Ritual pagão no Vaticano: "caminho aberto para a nova religião sincretista"

Ritos pagãos no Vaticano, sala de imprensa do Vaticano entre vergonha e mentiras
Francesca de Villasmundo
Tradução do francês Blog VALDERI (TL)
Situação surrealista e ainda real: no dia 4 de outubro, dia de São Francisco de Assis e véspera da abertura do Sínodo na Amazônia, houve de fato um ritual pagão realizado nos jardins do Vaticano por xamãs amazônicos na presença do Papa Francisco e outros membros da Igreja oficial.

Situação embaraçosa para a sala de imprensa do Vaticano. Assim, enquanto um site de magia, Antro Magia, exultava na internet "o passo importante da Igreja em direção ao reconhecimento das religiões pagãs e sua importância" e nos informava que "as bruxas são muito felizes", no Vaticano minimizamos, agimos como se não tivéssemos consciência de nada, tocamos três macaquinhos "não vejo, não falo, não ouço"!
ocultismo e paganismo,

Paolo Ruffini, nomeado prefeito do dicastério para a comunicação do Vaticano pelo papa argentino, presente em 4 de outubro nos Jardins do Vaticano, é ingênuo:
"Acho que representa a vida e é tudo. Eu a vi assim, a vida no momento em que ela está viva através da mulher. Para ver símbolos pagãos, acredito que é ver o mal onde não está."
"Mas sim, vem em seu auxílio o padre jesuíta Giacomo Costa, que tem a missão de sintetizar o trabalho sinodal diário. Não há nada de sagrado nisso, é um nativo que carrega a vida. Eu nem vi, ele acrescenta. Ela é uma figura feminina que não tem valor, nem pagã nem sagrada."
No entanto, era de fato um rito pagão de fertilidade "com chefes nativos adorando duas estátuas de uma deusa da fertilidade da Terra, que pode ser vista no centro do círculo". Um dos momentos mais importantes foi plantar uma árvore de Assis: a referência é explícita tanto à Revolução Francesa quanto à árvore da liberdade e às famosas e escandalosas reuniões inter-religiosas, prelúdios desta reunião de hoje. que ocorreu na cidade de Assis, na Itália, pela primeira vez a convite do Papa João Paulo II em 27 de outubro de 1986. Francisco é filho de João Paulo II, o papa do beijo no Alcorão e Buda no altar em Assis...

Essa cerimônia pagã nos jardins dos Palácios Apostólicos pode ser considerada como o caminho aberto para a nova religião sincretista com esse único Deus das religiões querido pelo pai argentino, fruto do indiferentismo e do relativismo do Concílio Vaticano II, bem como do messianismo dos globalistas contemporâneos.

Publicação mais visitada do site no último ano:

Objetos de Devoção