Pular para o conteúdo principal

≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡ LEITURA RECOMENDADA ≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡

Marx e os seus dominaram a educação brasileira

Que os livros didáticos oferecidos paras as escolas no Brasil inteiro serem fundamentados em figuras como Paulo Freire, Michel de Foucault, Jonh Dewey, Antonio Gramnsci e Jean-Jacques Rosseau, é um fato notório, e basta qualquer passada de olhos nestes mesmos livros que os professores usam em suas aulas e os que eles mesmos utilizam para se formarem, para notarmos a ideologia social presente destes senhores acima citado em todos os campos do conhecimento, em todas as áreas, pois se focaram não no conteúdo em si das matérias mas na forma, na didática utilizada, tornando assim qualquer matéria meio de formação segundo a ideologia que desejam fixar nas gerações. No trecho destacado abaixo, percebe-se o porque existe uma mudez nacional acerca desta formação ideológica ministrada nas escolas por quase todos os professores. Tirado do site Wikipedia O final deste trecho é o mais importante, pois é através dele que podemos perceber a profundidade e extensão do problema a se enfrentar. As obras

BEM VINDO

A beira da anarquização ideológica

"A esquerda sente a necessidade de sempre explicar tudo em termos de culpados e vítimas, mas, como cada explicação desse tipo logo se revela insustentável, é preciso buscar sempre novas vítimas para que as ondas de indignação se sucedam sem parar, alimentando a liderança revolucionária que sem isso não sobreviveria uma semana. A primeira vítima oficial foram os proletários, depois os índios, os negros, as mulheres, os jovens, os gays e agora, finalmente, a maior de todas: o planeta. Em nome da salvação do planeta, supostamente ameaçado de extinção pelo capitalismo, é lícito matar, roubar, sequestrar, incendiar, ludibriar, mentir sem parar e sobretudo, gastar dinheiro extorquido dos malvados capitalistas por meio do estado redentor." (CARVALHO, Olavo de. Até que enfim, Diário do Comércio, 21/09/2011)

Hoje faço questão de reproduzir este trecho de um dos artigos do filósofo Olavo de Carvalho, que fora publicado no Diário do Comércio em 2011.

A crueza da realidade que Olavo explicita neste parágrafo sobre o modo de agir de todo o movimento esquerdista nos deveria corar de vergonha por tantas vezes esquecermos disso diante de acontecimento que passam batidos, mas que tocam sensivelmente e alguns profundamente nossas vidas.

Fico pensando, quantas pessoas no mundo se dão conta, por exemplo, que uma ideologia política ramifica seus tentáculos por meio de TODAS as instituições que tocam a vida do individuo, e digo isto especialmente pensando na religião, e mais especificamente, na religião católica.

O que venho comentando aqui no site, sobre o Sínodo Pan-Amazônico é uma patente prova disso que Olavo de Carvalho destaca neste trecho de oito anos atrás. Este sínodo esta intrinsecamente movido por finalidades políticas, globais e também internas do Vaticano. Não podemos esquecer que o Vaticano é um país soberano, e que para tanto, também serve de organização política, onde giram posicionamentos que tentam convergir com o Evangelho de Nosso Senhor, mas algumas vezes falham nesta empreitada.

A vítima da vez, com indica Olavo, já vinha sendo preparada para ser o "bode expiatório" a muito tempo, desde a campanha sobre o buraco na camada de ozônio, que mostrou-se uma farsa, mas tarde passando para aquecimento global, derretimento das geleiras, mudanças climáticas e agora "xiitismo" em torno das florestas amazônicas.

Enquanto boa parte da população mundial não confrontar através de informações e conhecimentos destes engôdos e seus fins, estaremos sempre a beira de uma anarquização ideológica. 

Publicação mais visitada do site no último ano:

Objetos de Devoção