Pular para o conteúdo principal

POSTAGEM EM DESTAQUE:

Igreja que não converte mais ninguém

Que existe uma profunda e evidente crise dentro da Igreja Católica a grande maioria dos seres racionais já conseguiu perceber. O que para muitos destes é ainda obscuro é a raiz disso e a postura que se deve tomar para ajudar a sanar tal crise. Não é simples ou fácil elucidar isso, eu mesmo não o posso fazer, mas aproximações reais a esta crise e a posição a qual devemos ter são possíveis e reais diante de um honesto esforço. Ouso dizer que, mesmo Joseph Ratzinger, que na minha opinião é o maior teólogo vivo, não conseguiu ou não quis apresentar o panorama real e profundo desta crise e sua raiz que esta mais atrás do que muita gente pensa. Hoje o esforço analítico é deveras enorme, pois muitos que poderiam já terem apresentado trabalhos sobre isso, aparentemente resolveram calar-se ou mesmo guardar para si, por medo ou intimidações variadas, suas análises sobre este tema. É grande o trabalho de compreensão e de inúmeras influências e inúmeras consequências de tudo o que nos fez chegar a

O Papa Francisco incentiva a implementação de sua Declaração sobre a Fraternidade Humana

Francesca de Villasmundo
Tradução Blog VALDERI (TL)
Fiel a seu hábito, o Papa Francisco, indiferente à doutrina como alguns acreditam, embora ciente de que é através da prática que a revolução doutrinária ecumênica e pluralista conciliar se espalha, na melhor das hipóteses, nas mentes e costumes, incentiva a implementação de sua Declaração sobre a Fraternidade Humana.

Nenhum gigante no diálogo inter-religioso islâmico-cristão e novo estágio na apostasia da fé católica pela hierarquia conciliar, esta Declaração inter-religiosa sobre a fraternidade humana pela paz no mundo, co-assinada em fevereiro 2019 em Abu Dhabi, pelo Papa Francisco e pelo grande imã Ahmed al-Tayeb, reitor da Universidade Islâmica Al-Azhar, torna-se a pedra angular de um novo comitê criado em Abu Dhabi para sua divulgação e aplicação, e recebe o incentivo de "El" Papa Argentino:

 As informações foram relatadas pelo diretor do Gabinete de Imprensa da Santa Sé, Matteo Bruni.
"O Papa Francisco recebeu com alegria as notícias desta iniciativa e observa: 'Embora, infelizmente, muitas vezes é o mal, o ódio e o que está nas notícias, há um oceano oculto de quem cresce e quem nos dá esperança de diálogo, conhecimento recíproco, possibilidade de construção, com crentes de outras religiões e com todos os homens e mulheres de boa vontade, um mundo de fraternidade e paz '".
"O Santo Padre incentiva o trabalho do Comitê para a Divulgação do Documento", disse Bruni novamente, "agradece aos Emirados Árabes Unidos pelo compromisso concreto com a fraternidade humana e espera que iniciativas semelhantes possam ser multiplicadas no mundo. "

Alguns dias atrás, o Grande Imã de Al-Azhar também expressou sua satisfação por esta iniciativa dedicada a promover uma convivência saudável e pacífica entre povos e religiões. "

E o Vaticano Bergogliano, em marcha forçada em direção a um mundo pluralista e inter-religioso utópico e messiânico, composto de uma paz sem Deus e amor carnal, é, portanto, cúmplice da instrumentalização dos seguidores do Alcorão do pseudo-humanitarismo bobo ocidental, uma maneira subversiva de limpar o Islã de seus crimes e fanatismo.

Publicação mais visitada do site no último ano:

Objetos de Devoção