DIREITOS AUTORAIS
:: Ao compartilhar algum texto, sempre citar a fonte ::
Todos os artigos não assinados são de autoria e propriedade de Valderi da Silva, administrador deste blog.

As carmelitas que a Revolução Francesa decapitou

Em 17 de julho, dia seguinte à celebração litúrgica de Nossa Senhora do Carmo, a Igreja rememora o martírio de 16 religiosas carmelitas durante a Revolução Francesa. Vítimas do ódio à fé que caracterizava uma parte muito relevante do assim chamado “iluminismo”, elas foram decapitadas em Compiègne, na França. (Aleteia)
A mui estimada França, terra de grande santos, do grande rei Luis IX da França (1214-1270), terra da inigualável santa Joana D'Arc, enfim, terra chamada de "filha primogênita da Igreja" por conta de sua postura de defesa da Sé de Pedro diante dos inimigos da fé. Pois foi justamente nesta terra que as forças malignas apostaram grande força para fazer andar o trem de perdição dos homens. 

A chamada "revolução francesa" sob a bandeira de igualdade, liberdade e fraternidade, serviu eficazmente para expôr a força do inimigo da fé, e oferecer ao mundo inumeráveis exemplos de bravura e virtude. Esta revolução que desgraçadamente teve exito na França, perseguiu e assassinou brutalmente os membros da Igreja e qualquer fiel que publicamente ousasse colocar a fé acima do Estado. A revolução francesa é o exemplo máximo, cronologicamente, antes do marxismo russo, do empenho demoníaco de destronar Deus e colocar o homem como o "deus" do mundo.
Assim, esta famigerada revolução nos legou o martírio desta 16 carmelitas, que subindo ao cadafalso, cantavam vigorosamente o Veni Creator, como nos reza a tradição que chegou até nós. Um exemplo de virtude que dificilmente encontramos comparativos nos tempos modernos, e não me digam que não perseguição religiosa em nossos dias!
"ouvistes, condenam-nos pelo nosso apego à fé. Que felicidade morrer por Jesus Cristo!"
Fico extremamente comovido cada vez que revejo o filme "Diálogo das Carmelitas", de 1960. Um filme tão antigo que mal podemos decifrar direito as feições, no entanto, a serenidade virtuosa que estas carmelitas devem ter demonstrado neste dia de sua entrada no céu, foi perfeitamente capturada nas cenas.

É difícil não se colocar furioso com estes seres humanos do passado que abriram as portas para estas ideologias que hoje já causaram atrocidades mil. Pois vale lembrar, que o iluminismo predominante na revolução francesa foi apenas uma faceta do relativismo que subjaz no que aconteceu e no que esta acontecendo no mundo.

As 16 carmelitas mártires de Compiègne foram beatificadas por São Pio X em 1906, e seus nomes se pode conferir no quadro abaixo:

Nome civilNome religiosoFunçãoIdade
Madeleine-Claudine LedoineMadre Teresa de Santo Agostinhopriora41
Anne-Marie-Madeleine ThouretIrmã Carolina da Ressurreiçãomonja, sacristã78
Anne PetrasIrmã Maria Henriqueta da Providênciamonja34
Marie-Geneviève MeunierIrmã Constançanoviça29
Rose Chretien de la NeuvilleIrmã Júlia Luísa de Jesusviúva, monja53
Marie-Claude Cyprienne (ou Catherine Charlotte) BrardIrmã Eufrásia da Imaculada Conceiçãomonja58
Marie-Anne (ou Antoinette) BrideauMadre São Luíssub-priora41
Marie-Anne PiedcourtIrmã de Jesus Crucificadomonja79
Marie-Antoniette (ou Anne) HanissetIrmã Teresa do Imaculado Coração de Mariamonjac. 54
Marie-Francoise Gabrielle de CroissyMadre Henriqueta de Jesusantiga priora49
Marie-Gabrielle TrezelIrmã Teresa de Santo Ináciomonja51
Angelique RousselIrmã Maria do Espírito Santoirmã leiga51
Julie (or Juliette) VerolotIrmã São Francisco Xavierirmã leiga30
Marie DufourIrmã Santa Martairmã leiga51
Catherine Soironrodeira52
Thérèse Soironrodeira46

Anúncio do Blog