Pular para o conteúdo principal

≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡ LEITURA RECOMENDADA ≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡

Marx e os seus dominaram a educação brasileira

Que os livros didáticos oferecidos paras as escolas no Brasil inteiro serem fundamentados em figuras como Paulo Freire, Michel de Foucault, Jonh Dewey, Antonio Gramnsci e Jean-Jacques Rosseau, é um fato notório, e basta qualquer passada de olhos nestes mesmos livros que os professores usam em suas aulas e os que eles mesmos utilizam para se formarem, para notarmos a ideologia social presente destes senhores acima citado em todos os campos do conhecimento, em todas as áreas, pois se focaram não no conteúdo em si das matérias mas na forma, na didática utilizada, tornando assim qualquer matéria meio de formação segundo a ideologia que desejam fixar nas gerações. No trecho destacado abaixo, percebe-se o porque existe uma mudez nacional acerca desta formação ideológica ministrada nas escolas por quase todos os professores. Tirado do site Wikipedia O final deste trecho é o mais importante, pois é através dele que podemos perceber a profundidade e extensão do problema a se enfrentar. As obras

BEM VINDO

Jesus no Horto: O sofrimento atemporal

Escrevo numa Sexta-feria Santa, dia de rememorar a Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo, algo que para a humanidade inteira deveria ser fundamental, porque de fato o é!

Lendo o evangelista São Marcos, na passagem sobre a agonia de Jesus no Horto das Oliveiras, podemos nos ater nesta capacidade de Jesus em viver o que já passou e o que ainda nem aconteceu. Não se trata de um mero sentimentalismo, mesmo que honrosamente louvável, mas sim de algo bastante real em Jesus, objetivo, "ontológico" por se tratar especialmente de Deus, encarnado. Na verdade podemos entender que é precisamente esta união do ser divino com a natureza humana que torna tão visível e real o sofrimento atemporal de Cristo neste momento no Monte das Oliveiras.

Tendo isto, podemos chegar ao ponto de nossa vida cristã ao exemplo desta realidade humano-divina de Jesus Cristo, pois acredito ser fundamental esta capacidade de Jesus em viver um estado atemporal para nossa adequação ao que Jesus Cristo mesmo é, sabendo que Ele é o "homem ideal", ou "ser humano perfeito".

O que entendemos por compaixão, solidariedade e caridade passa fundamentalmente por esta capacidade de Nosso Senhor em viver o sofrimento que já passou, que ainda não aconteceu ou que acontece com outra pessoa.

Será que a humanidade não seria mais "semelhante" ao Cristo se pensasse nisso? Viver como Jesus o sofrimento na própria carne, transformando nossa capacidade de percepção cristã em um sentimento atemporal, nos traria mais perto da transcendentalidade que nos aproxima mais de vida divina. Afinal, viver melhor e feliz é "viver com Deus e como Cristo", Deus verdadeiro, homem verdadeiro e perfeito.

Publicação mais visitada do site no último ano:

Objetos de Devoção