Pular para o conteúdo principal

≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡ LEITURA RECOMENDADA ≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡

Marx e os seus dominaram a educação brasileira

Que os livros didáticos oferecidos paras as escolas no Brasil inteiro serem fundamentados em figuras como Paulo Freire, Michel de Foucault, Jonh Dewey, Antonio Gramnsci e Jean-Jacques Rosseau, é um fato notório, e basta qualquer passada de olhos nestes mesmos livros que os professores usam em suas aulas e os que eles mesmos utilizam para se formarem, para notarmos a ideologia social presente destes senhores acima citado em todos os campos do conhecimento, em todas as áreas, pois se focaram não no conteúdo em si das matérias mas na forma, na didática utilizada, tornando assim qualquer matéria meio de formação segundo a ideologia que desejam fixar nas gerações. No trecho destacado abaixo, percebe-se o porque existe uma mudez nacional acerca desta formação ideológica ministrada nas escolas por quase todos os professores. Tirado do site Wikipedia O final deste trecho é o mais importante, pois é através dele que podemos perceber a profundidade e extensão do problema a se enfrentar. As obras

BEM VINDO

CNBB não é mais referência ao catolicismo no Brasil

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) há muito tempo perdeu qualquer prestígio e confiança entre os católicos mais formados doutrinalmente. O esforço de alguns membros da dita conferência somente resultam em polêmica e desgosto, além de aumentar o número daqueles que sentem-se escandalizados pelos "membros da Igreja".

Faz poucos dias que o candidato a presidência da República do Brasil, Fernando Haddad, visitou a sede da CNBB para uma conversa amigável com o secretário e membros da conferência. Se a CNBB realmente se importasse com a ortodoxia da fé católica exigiria abertamente retratação do mesmo candidato por todos os pronunciamentos a favor do aborto e sua ligação com o comunismo no Brasil. Mas é claro que não vimos isso acontecer, ao contrário, a CNBB lança apenas uma nota "café com leite", falando sobre diálogo democrático e união contra a violência no Brasil.

Os católicos já não enxergam a CNBB como referência para o catolicismo no Brasil, eles estão buscando outras referências, o que não é animador, pois deveria ser a instituição que reuni os sucessores dos apóstolos a referência primeira para o catolicismo no Brasil.

Num esforço de memória, pode-se observar que o PT, quando necessitou de votos por algum motivo, sempre lembrou-se do bispos católicos, lembrou-se da CNBB. Não é estranho isso, pois esta conferência ainda reúne os principais militantes da teologia da libertação, braço "teológico" da esquerda na América Latina.


Muitas vezes aqui neste site falei sobre o escabroso laço entre CNBB e PT, e como os católicos são usados como massa de manobra quando se trata da equação PT + CNBB. É inadmissível que ainda calem-se os bispos que não compactuam com esta índole da Conferência. Onde estão? Sei que alguns até sinalizam um ou outro comentário nas dioceses, mas não será que não se percebe que é preciso uma voz que repercuta nacionalmente, em contraponto destes alinhados com o petismo?


O catolicismo sempre sobreviverá a CNBB, mas o estrago que esta conferência traz ao Brasil católico não é tão fácil de remediar.

Comentários

Publicação mais visitada do site no último ano:

Objetos de Devoção