Pular para o conteúdo principal

POSTAGEM EM DESTAQUE:

Igreja que não converte mais ninguém

Que existe uma profunda e evidente crise dentro da Igreja Católica a grande maioria dos seres racionais já conseguiu perceber. O que para muitos destes é ainda obscuro é a raiz disso e a postura que se deve tomar para ajudar a sanar tal crise. Não é simples ou fácil elucidar isso, eu mesmo não o posso fazer, mas aproximações reais a esta crise e a posição a qual devemos ter são possíveis e reais diante de um honesto esforço. Ouso dizer que, mesmo Joseph Ratzinger, que na minha opinião é o maior teólogo vivo, não conseguiu ou não quis apresentar o panorama real e profundo desta crise e sua raiz que esta mais atrás do que muita gente pensa. Hoje o esforço analítico é deveras enorme, pois muitos que poderiam já terem apresentado trabalhos sobre isso, aparentemente resolveram calar-se ou mesmo guardar para si, por medo ou intimidações variadas, suas análises sobre este tema. É grande o trabalho de compreensão e de inúmeras influências e inúmeras consequências de tudo o que nos fez chegar a

Páscoa: Jesus no mundo de hoje II

Falando da Páscoa de Nosso Senhor entendo ser imprescindível acrescentar que, se trata de algo além da crença, histórico, isto é, nenhum cientista sério ousa colocar como construção histórica o que aconteceu naquele domingo da ressurreição, ao menos admitem que algo inexplicavelmente novo aconteceu, e que não há como provar que Jesus realmente estivesse enterrado até os dias de hoje.

Existe um vídeo na internet de uma entrevista concedida pelo Dr. Rodrigo Silva no Programa do Jô Soares (TV Globo), que traz com bastante desenvoltura alguns dados científicos que corroboram a história da crucificação e consequente ressurreição de Jesus Cristo.

Mas além deste vídeo, muitos outros livros de médicos, legistas, arqueólogos, teólogos e outros interessados já trazem dados suficientes para não haver sequer uma dúvida sobre a crucificação e insuspeito testemunho dos apóstolos e mulheres sobre a ressurreição de Jesus.

Por este motivo, hoje falo como a maioria dos cristãos e pessoas de boa vontade, pressupondo a veracidade da ressurreição. Agora, é evidente que a minha fé acompanha esta minha certeza, mas a fé complementa esta certeza da ressurreição com a "esperança" da vida eterna, pois aonde a ciência não pode chegar é aqui: QUE A RESSURREIÇÃO DE CRISTO PROMETE A NOSSA PRÓPRIA RESSURREIÇÃO.

Comentários

Publicação mais visitada do site no último ano:

Objetos de Devoção