Pular para o conteúdo principal

POSTAGEM EM DESTAQUE:

Igreja que não converte mais ninguém

Que existe uma profunda e evidente crise dentro da Igreja Católica a grande maioria dos seres racionais já conseguiu perceber. O que para muitos destes é ainda obscuro é a raiz disso e a postura que se deve tomar para ajudar a sanar tal crise. Não é simples ou fácil elucidar isso, eu mesmo não o posso fazer, mas aproximações reais a esta crise e a posição a qual devemos ter são possíveis e reais diante de um honesto esforço. Ouso dizer que, mesmo Joseph Ratzinger, que na minha opinião é o maior teólogo vivo, não conseguiu ou não quis apresentar o panorama real e profundo desta crise e sua raiz que esta mais atrás do que muita gente pensa. Hoje o esforço analítico é deveras enorme, pois muitos que poderiam já terem apresentado trabalhos sobre isso, aparentemente resolveram calar-se ou mesmo guardar para si, por medo ou intimidações variadas, suas análises sobre este tema. É grande o trabalho de compreensão e de inúmeras influências e inúmeras consequências de tudo o que nos fez chegar a

Dostoiévski, um ateu?

Tenho de proclamar a minha incredulidade. Para mim não há nada de mais elevado que a ideia da inexistência de Deus. O Homem inventou Deus para poder viver sem se matar.
O Idiota, de Dostoyevski.
Esta frase chocante Dostoiévski coloca na boca do personagem Mickin, e algo tão chocante me fez pensar: será que Fiodor Dostoiévski era uma pessoa sem fé? Um ateu?
Casa onde escreveu o romance "O Idiota"
Mas considerando sua obra tão acentuadamente moral e crente num mérito eterno, não é possível acreditar que o mais famoso escritor russo seja um legítimo ateu, até porque, a própria existência de tal ser humano (o ateu) ainda é contestada.

Acredito que, esta fala do Príncipe Mickin, esta estrategicamente posta no conjunto da obra, pois o próprio romance não deixa de ser uma crítica ao leviano e até ao ingênuo cristão, que humildemente tenta colocar-se no meio da sociedade, que nem sempre compartilha da mesma fé ou rigor e clareza moral.

O escritor russo não é ateu, mas um cristão. Na verdade, um típico cristão russo, cheio de ânsia pela humanidade no ser humano, e desejo de associar esta humanidade a fé clara e certa ao homem imerso numa sociedade caótica pelas ideologias e doenças psíquicas. Sua obra "O Idiota" é uma obra prima de análise de personagens e neles de mentalidades, que revelam os seres humanos que em nosso tempo encontramos, cheios de vaidades, orgulhos e mesquinhez, mas vazios de algo insoldavelmente maior que eles próprios: Deus.

Dostoyevski não é ateu, é mais religioso que podia eu pensar. Seu livro aqui citado (O Idiota) é prova de uma refinada mostra de religiosidade além da pura pregação e doutrinação, mas de desmonte da própria farsa humana do ateísmo e do vulgarismo, além do suicídio das ideologias, que nada elevam o ser humano além de o rebaixar para a possível morte eterna.

Leiam Fiódor M. Dostoyevski, e tirem suas conclusões!

Comentários

Publicação mais visitada do site no último ano:

Objetos de Devoção