Pular para o conteúdo principal

POSTAGEM EM DESTAQUE:

Igreja que não converte mais ninguém

Que existe uma profunda e evidente crise dentro da Igreja Católica a grande maioria dos seres racionais já conseguiu perceber. O que para muitos destes é ainda obscuro é a raiz disso e a postura que se deve tomar para ajudar a sanar tal crise. Não é simples ou fácil elucidar isso, eu mesmo não o posso fazer, mas aproximações reais a esta crise e a posição a qual devemos ter são possíveis e reais diante de um honesto esforço. Ouso dizer que, mesmo Joseph Ratzinger, que na minha opinião é o maior teólogo vivo, não conseguiu ou não quis apresentar o panorama real e profundo desta crise e sua raiz que esta mais atrás do que muita gente pensa. Hoje o esforço analítico é deveras enorme, pois muitos que poderiam já terem apresentado trabalhos sobre isso, aparentemente resolveram calar-se ou mesmo guardar para si, por medo ou intimidações variadas, suas análises sobre este tema. É grande o trabalho de compreensão e de inúmeras influências e inúmeras consequências de tudo o que nos fez chegar a

DJC: Nasci para morrer?!

Querido diário...

Recebi ontem uma visita que a muito não via, nem tínhamos mais contato, de modo que nem sei dizer quando foi a última vez que nos vimos. Uma pessoa daquelas que não nos deixam muito bem, pois troca-se poucas palavras e já vem o assunto "doença", "desgraça", "tragédia", etc. Ou seja, alguém que possui uma somatização tão grande que parece ter nascida somente esperando o dia da morte!

Mas isto me fez pensar... nascemos para morrer? Eu nasci para morrer?

Acredito que diante das dificuldades que a vida pode apresentar seja muito fácil logo chegar a esta conclusão. De fato, aprendi que até filósofos de renome no meio intelectual chegaram a considerar esta afirmação: o ser humano nasce para morrer!

Apesar de muitos me citarem este ou aquele nome famoso, para defender esta ideia não posso concordar com esta afirmação... muito menos que seja uma verdade indiscutível. Que a vida humana como a experimentamos termina um dia, ela termina, e não sou um tolo em pensar o contrário. Mas sei que não nasci para morrer, pois creio numa alma imortal, que não morrerá jamais! Isto, querido diário, me faz tentar viver bem esta vida que conheço a espera daquela que ainda não experimentei, mas que tenho notícia de sua existência pela fé em Jesus Cristo que nos a revelou.

Comentários

Publicação mais visitada do site no último ano:

Objetos de Devoção