Pular para o conteúdo principal

POSTAGEM EM DESTAQUE:

Igreja que não converte mais ninguém

Que existe uma profunda e evidente crise dentro da Igreja Católica a grande maioria dos seres racionais já conseguiu perceber. O que para muitos destes é ainda obscuro é a raiz disso e a postura que se deve tomar para ajudar a sanar tal crise. Não é simples ou fácil elucidar isso, eu mesmo não o posso fazer, mas aproximações reais a esta crise e a posição a qual devemos ter são possíveis e reais diante de um honesto esforço. Ouso dizer que, mesmo Joseph Ratzinger, que na minha opinião é o maior teólogo vivo, não conseguiu ou não quis apresentar o panorama real e profundo desta crise e sua raiz que esta mais atrás do que muita gente pensa. Hoje o esforço analítico é deveras enorme, pois muitos que poderiam já terem apresentado trabalhos sobre isso, aparentemente resolveram calar-se ou mesmo guardar para si, por medo ou intimidações variadas, suas análises sobre este tema. É grande o trabalho de compreensão e de inúmeras influências e inúmeras consequências de tudo o que nos fez chegar a

Bispos da Venezuela denunciam sistema político-econômico socialista

http://www.aleteia.org/pt/

Os bispos da Venezuela denunciaram com vigor o sistema político-econômico "socialista, marxista ou comunista" que o governo de Hugo Chávez impôs ao país e que está sendo mantido pelo atual presidente, Nicolás Maduro.

No comunicado "Renovação ética e espiritual em face da crise", divulgado pela Conferência Episcopal Venezuelana (CEV), os bispos que assinam o texto declaram que a principal causa da atual crise da Venezuela é "o sistema político-econômico de natureza socialista, marxista ou comunista".Venezuela - rosto pintado

"Este sistema, que é totalitário e centralista, estabelece o controle do Estado sobre todos os aspectos da vida dos cidadãos e das instituições públicas e privadas. Ele também ameaça a liberdade e os direitos das pessoas e das associações e provocou opressão e ruína em todos os países onde foi tentado", diz o comunicado.

De acordo com uma reportagem do jornal “El Universal”, um dos mais importantes do país, os bispos pediram que o governo liberte os presos políticos e pare de usar o sistema judicial para intimidar e desqualificar os seus opositores. A liberdade de expressão e a existência de meios de comunicação independentes devem ser respeitadas, afirmaram ainda os prelados venezuelanos.

Os bispos disseram também que as longas filas de pessoas que tentam comprar comida e outros itens de necessidade básica, assim como o aumento constante dos preços, são resultado da decisão do governo de "impor um sistema político-econômico socialista, marxista ou comunista", que é "totalitário e centralista" e que "mina a liberdade e os direitos dos indivíduos e das associações", repete o Investor’s Business Daily. "Os bispos venezuelanos declararam especificamente que o setor privado é fundamental para o bem-estar do país. O documento, lido por dom Diego Padrón, arcebispo de Cumaná, diz que o país precisa de ‘um novo espírito empreendedor, com audácia e criatividade’".

A exortação dos bispos começa com uma análise do ano de 2014, caracterizado pela instabilidade política e social que provocou 43 mortes e esmagou o diálogo ainda em seus estágios iniciais. Para sair desta situação, os bispos propõem "o diálogo mais uma vez, mas com respeito pelo pluralismo político que existe na Venezuela". Eles também disseram que a nação precisa apoiar enfaticamente a comunhão familiar.

O documento do episcopado católico da Venezuela ainda afirma que a situação do país "revela (...) uma crise moral de valores, atitudes, motivações e comportamentos que precisam ser corrigidos".

Comentários

Publicação mais visitada do site no último ano:

Objetos de Devoção