Pular para o conteúdo principal

≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡ LEITURA RECOMENDADA ≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡

Marx e os seus dominaram a educação brasileira

Que os livros didáticos oferecidos paras as escolas no Brasil inteiro serem fundamentados em figuras como Paulo Freire, Michel de Foucault, Jonh Dewey, Antonio Gramnsci e Jean-Jacques Rosseau, é um fato notório, e basta qualquer passada de olhos nestes mesmos livros que os professores usam em suas aulas e os que eles mesmos utilizam para se formarem, para notarmos a ideologia social presente destes senhores acima citado em todos os campos do conhecimento, em todas as áreas, pois se focaram não no conteúdo em si das matérias mas na forma, na didática utilizada, tornando assim qualquer matéria meio de formação segundo a ideologia que desejam fixar nas gerações. No trecho destacado abaixo, percebe-se o porque existe uma mudez nacional acerca desta formação ideológica ministrada nas escolas por quase todos os professores. Tirado do site Wikipedia O final deste trecho é o mais importante, pois é através dele que podemos perceber a profundidade e extensão do problema a se enfrentar. As obras

BEM VINDO

Crônicas natalinas: O frango “laranja”

Nada mais simpático que o tempo do Natal, todos parecem que ecoam as mesmas palavras “paz, amor e harmonia”. Tudo seria tão bonito se realmente não fosse apenas posturas ocasionais. E falando nisso me recordo de um espisódio  que, na verdade nada mais é do que consequência deste arquétipo do moderno natal.

Já faz algumas décadas, numa cidade periférica, onde a população em geral se nutre das “sobras” da vida metropolitana, que numa humilde família existia uma senhora que era como que a chefe, sendo sempre o ponto de união dos filhos e noras. De fato, esta senhora que nutria uma grande devoção e se orgulhava por ser uma cristã católica convicta era vista como um exemplo por todos na família e fora dela.

frango de natal Aconteceu que num natal, ou melhor na véspera dele, um dos filhos largou uma frase que caiu como uma martelada, certeira e definitiva na devoção daquela senhora e em alguns da família. Ao se combinar a ceia de natal, supondo a participão na Santa Missa de véspera do Natal, o referido filho disse: “vocês vão que a gente prepara o frango para a janta”. Maldito frango!

Por que maldito? Porque este frango virou um “laranja” para não participar como se deveria da celebração da Santa Missa vespertina de Natal, algo que todo cristão consciênte e que espera algo de Deus sabe que deve fazer. Ficou então este filho e mais alguns membros da família supostamente desempedidos da participação na Santa Missa tendo orgulhosamente o maldito frango “laranja” como escopo para comemorar de fato o Natal.

O sentimento que ficou é que o Natal não foi comemorado, mas sim o frango assado… o tal do frango “laranja”.

Comentários

Publicação mais visitada do site no último ano:

Objetos de Devoção