Pular para o conteúdo principal

POSTAGEM EM DESTAQUE:

Igreja que não converte mais ninguém

Que existe uma profunda e evidente crise dentro da Igreja Católica a grande maioria dos seres racionais já conseguiu perceber. O que para muitos destes é ainda obscuro é a raiz disso e a postura que se deve tomar para ajudar a sanar tal crise. Não é simples ou fácil elucidar isso, eu mesmo não o posso fazer, mas aproximações reais a esta crise e a posição a qual devemos ter são possíveis e reais diante de um honesto esforço. Ouso dizer que, mesmo Joseph Ratzinger, que na minha opinião é o maior teólogo vivo, não conseguiu ou não quis apresentar o panorama real e profundo desta crise e sua raiz que esta mais atrás do que muita gente pensa. Hoje o esforço analítico é deveras enorme, pois muitos que poderiam já terem apresentado trabalhos sobre isso, aparentemente resolveram calar-se ou mesmo guardar para si, por medo ou intimidações variadas, suas análises sobre este tema. É grande o trabalho de compreensão e de inúmeras influências e inúmeras consequências de tudo o que nos fez chegar a

Comentário do Evangelho de hoje

Comentário do dia por São Bernardo (1091-1153) para 20 de dezembro.
Monge cisterciense, Doutor da Igreja
Sermão para a Anunciação, §§ 7-8
«Eis a serva do Senhor»
«O anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galileia chamada Nazaré.» Ficais surpreendidos pelo facto de Nazaré, uma pequena cidade, receber a honra da mensagem de tão grande Rei, e que mensagem! Mas há um grande tesouro escondido nesta povoação: escondido dos homens, não de Deus. Pois não é Maria o tesouro de Deus? Onde quer que Ela se encontre, o coração de Deus segue-a. Os seus olhos estão sobre Ela, não largam de vista a sua humilde serva.
Se o Filho único de Deus conhece o céu, também conhece Nazaré. Pois como não haveria de conhecer a sua pátria e a sua herança? Ele pertence ao céu de seu Pai e à Nazaré de sua mãe, uma vez que Se diz simultaneamente Filho de David e Senhor (Mt 22,42s). […]
«Maria, não temas, pois achaste graça diante de Deus.» E que graça! Uma graça plena, única, singular […], tanto mais singular quanto é para todos os homens. […] Graça única, pois que apenas tu, Maria, tens a sua plenitude; graça universal, pois que tudo o que Deus criou participa nessa plenitude: «Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre» (Lc 1,42). Fruto do teu ventre é-o só para ti, mas pela tua meditação chega às almas de todos. […] Só em ti este Rei tão rico Se rebaixou, este grande soberano Se humilhou, este Deus infinito Se fez pequeno. Ele fez-Se inferior aos anjos (Heb 2,7); pois, sendo verdadeiro Deus e Filho de Deus, encarnou. Mas com que objectivo? Para nos enriquecer a todos pela sua pobreza, nos elevar pelo seu rebaixamento, nos engrandecer fazendo-Se pequeno, nos unir a Deus fazendo-Se homem, para que comecemos a ser um só espírito com Ele (2Cor 8,9; 1Cor 6,17).

Comentários

Publicação mais visitada do site no último ano:

Objetos de Devoção