Pular para o conteúdo principal

≡≡ LEITURA RECOMENDADA

O conservador na guerra hermenêutica

Contra tudo o que pode parecer comum no mundo atual, o conservador não deixa-se levar pelas pressões sociais e grupais, que muitas vezes cobram altos preços pela aquesciencia ou pelo enfrentamento de ideias e posturas sem nenhum fundamento na realidade, sem nenhuma obediência a natureza mesmo das coisas criadas e sustentadas pelo Criador.  Claro que a imensa maioria destas ideias e posturas que pressionam o conservador originam-se de mentes negadoras da existência de Deus ou negam sua fundamental influência no mundo e na história, o que faz com  estas ideias e posturas já desenvolvam-se alienadas da ideia de um criador e sustentador da existência em seu ser. Esse pressuposto já traz um bom motivo para que o conservador desconfie de qualquer "boa ação" ou "boa intenção" que possa ser apresentada a ele, sendo patrocinada e impulsionada por quem pressupostamente desconsidera o fundamento da realidade existente. Já escrevi aqui sobre a fundamental insistência da mente

As pessoas confirmam o estudo [01]

Quando penso que os simpatizantes da “Teologia” da Libertação (famosa e famigerada TL) e o pentecostais (idiotamente radicais!) se assemelham, não encontro meio de me auto objetar.

Daniel na cova dos leoes
É incrível como atitudes simples, posturas corporais perante as pessoas cientemente não simpáticas a ideologia (ou seja lá o que pensam!) fazem acordar o “Smaug” presente dentro do seu castelinho interior, que acredito ser repleto de ouro! Seja por atos, palavras ou olhares, percebo ao longe o desconforto ou mesmo a vontade de agarrar pelo pescoço alguém contrário a seu “sistema lógico” de elaborar as questões sociais e mesmo (vejam que ousadia!) as questões doutrinárias da Santa Igreja.


Sou alguém pacífico, não optante pelo embate pessoal e frontal, mas também não me escondo diante da necessidade de erguer a voz e dizer “pare aí!”. Não posso outorgar-me doutorados que não tenho, nem sequer chamar-me de mestre de coisa alguma. Mas uma coisa digo com reconhecimento pessoal: não fujo diante do estudo e muito menos da obrigatória humildade para saber que existe uma autoridade sobre mim, principalmente na Santa Igreja.

Por isso, digo aos TL’s e “pentecostais": vocês não sabem mais que a Santa Igreja, abaixem a cabeça e imitem os santos!

Publicação mais visitada do site no último ano:

Carta de um leigo a Dom Benedito Beni dos Santos a respetio da “Missa Sertaneja” celebrada pela Comunidade Canção Nova