Pular para o conteúdo principal

≡≡ LEITURA RECOMENDADA

O conservador na guerra hermenêutica

Contra tudo o que pode parecer comum no mundo atual, o conservador não deixa-se levar pelas pressões sociais e grupais, que muitas vezes cobram altos preços pela aquesciencia ou pelo enfrentamento de ideias e posturas sem nenhum fundamento na realidade, sem nenhuma obediência a natureza mesmo das coisas criadas e sustentadas pelo Criador.  Claro que a imensa maioria destas ideias e posturas que pressionam o conservador originam-se de mentes negadoras da existência de Deus ou negam sua fundamental influência no mundo e na história, o que faz com  estas ideias e posturas já desenvolvam-se alienadas da ideia de um criador e sustentador da existência em seu ser. Esse pressuposto já traz um bom motivo para que o conservador desconfie de qualquer "boa ação" ou "boa intenção" que possa ser apresentada a ele, sendo patrocinada e impulsionada por quem pressupostamente desconsidera o fundamento da realidade existente. Já escrevi aqui sobre a fundamental insistência da mente

Quarta-feira – Jr 18,18-20 Mt 20,17-28

II Semana da Quaresma

Pe. Valderi da Silva

A liturgia da Palavra de hoje, inicia-se por Jeremias, e nesta leitura logo percebemos a maldade dos injustos contra um inocente. O profeta percebe que desejam lhe fazer o mal, que sua vida corre risco junto daqueles que ele deve ajudar. Aqui se encontra um ponto de dificuldade para muitos na encruzilhada em fazer o que Deus nos pede ou simplesmente fazer o que é conveniente para salvar suas vidas. Todos percebem que cumprir fielmente a Vontade de Deus pode nos trazer muitas desventuras junto de nossos irmãos, justamente porque nem todos são dóceis a esta Vontade. É por este motivo que muitos acabam pagando caro pela fidelidade e honestidade, ou seja, muitos agindo na bondade acabam arriscando receber um tratamento de criminoso, mas isto na visão deste mundo, na visão de pessoas que buscam escapar da exigência que uma vida honesta e fiel a Deus pede, pessoas que precisam eliminar aqueles que mostram sua desorientação na vida, pois se veem ameaçadas por aqueles que esclarecem as atitudes meramente convenientes que são tomadas por muitos para viver na facilidade sem compromisso com a verdade e com Deus.

“Acaso pode-se retribuir o bem com o mal?” (Jr 18,20). Nesta pergunta de Jeremias esta a desolação daquele coração que quase não encontra meio de continuar a viver bem, unido a verdade e a Deus. Em tempos de difícil aceitação da Palavra de Deus por grande parte das pessoas, é necessário tomar esta decisão: quero viver fazendo o que Deus me pede, ou viver de bem com as pessoas ao meu redor? O bem que possamos fazer nasce de nossa proximidade com Deus, e isto sempre será incomodo para quem deseja a facilidade sem compromisso, sem medir as consequências.

Jesus em direção a Jerusalém alerta seus discípulos de que horrores passaria para chegar a glória. Deus age dessa maneira, nunca deixa que o possível sofrimento nos pegue de surpresa sem antes nos haver advertido sobre tal perigo. Seu amor não nos deixa sofrer sem que tal sofrimento pudesse ter sido previsto ou evitado. Surge então a pergunta de como evitar tantos sofrimentos em nossas vidas. A resposta é simples, apesar de difícil cumprimento: ser fiel aos mandamentos de Deus. Mas isto é claro que não eliminará todo sofrimento, já que existem muitos tipos de sofrimentos que são causados pela maldade do coração de outras pessoas.

Talvez o mais importante neste dia, é percebermos que a Palavra de Deus, nos esclarece que é obedecendo a Deus, vivendo o amor sem medidas e de forma gratuita é que encontraremos a felicidade e a paz. Uma demonstração clara deste nosso comportamento consciente, é a vivência das virtudes, principalmente a humildade e a caridade, pois sem elas não nos é possível nem mesmo a fidelidade a Deus.

Comentários

Publicação mais visitada do site no último ano:

Carta de um leigo a Dom Benedito Beni dos Santos a respetio da “Missa Sertaneja” celebrada pela Comunidade Canção Nova