Pular para o conteúdo principal

POSTAGEM EM DESTAQUE:

Igreja que não converte mais ninguém

Que existe uma profunda e evidente crise dentro da Igreja Católica a grande maioria dos seres racionais já conseguiu perceber. O que para muitos destes é ainda obscuro é a raiz disso e a postura que se deve tomar para ajudar a sanar tal crise. Não é simples ou fácil elucidar isso, eu mesmo não o posso fazer, mas aproximações reais a esta crise e a posição a qual devemos ter são possíveis e reais diante de um honesto esforço. Ouso dizer que, mesmo Joseph Ratzinger, que na minha opinião é o maior teólogo vivo, não conseguiu ou não quis apresentar o panorama real e profundo desta crise e sua raiz que esta mais atrás do que muita gente pensa. Hoje o esforço analítico é deveras enorme, pois muitos que poderiam já terem apresentado trabalhos sobre isso, aparentemente resolveram calar-se ou mesmo guardar para si, por medo ou intimidações variadas, suas análises sobre este tema. É grande o trabalho de compreensão e de inúmeras influências e inúmeras consequências de tudo o que nos fez chegar a

Sábado – Lc 1,46-56

Comentário ao Evangelho do dia feito por São Beda, o Venerável
Monge, Doutor da Igreja- (c. 673-735)
Exposição sobre o Evangelho segundo São Lucas (do Ofício de Leitura de 22 de Dezembro)

E Maria disse: «A minha alma engrandece ao Senhor e o meu espírito se alegra em Deus meu Salvador». O Senhor me engrandeceu, diz ela, com um dom tão grande e tão inaudito, que é impossível explicá-lo com palavras humanas, e dificilmente o poderá compreender o sentimento mais íntimo do coração. Por isso entrego-me com todas as forças da minha alma ao louvor e à acção de graças. [...] «Porque fez em mim grandes coisas o Todo-Poderoso; e o Seu nome é Santo». [...] De facto, só aquele em quem o Senhor realiza obras grandiosas pode proclamar dignamente a Sua grandeza e exortar os que participam da mesma promessa e dos mesmos sentimentos: «Engrandecei comigo ao Senhor; exaltemos juntos o Seu nome» (Sl 34 [33],4). [...]Nossa Senhora - Magnificat

«Acolheu a Israel, Seu servo, lembrado da Sua misericórdia». Com admirável propriedade o cântico chama a Israel servo do Senhor, isto é, obediente e humilde, a quem o Senhor acolheu para o salvar, segundo as palavras do profeta Oseias: «Quando Israel era ainda criança, eu o amei» (11,1; cf. 11,4). Quem não quer humilhar-se não pode ser salvo [...] mas «quem se humilhar como uma criança será o maior no Reino dos Céus» (Mt 18,4).

«Como tinha prometido a nossos pais, a Abraão e à sua descendência para sempre». Refere-se o texto não à descendência carnal de Abraão, mas à espiritual, isto é, não somente aos nascidos da sua carne, mas aos que seguiam o exemplo da sua fé. [...] O advento do Salvador foi prometido a Abraão e à sua descendência para sempre, isto é, aos filhos da promessa, dos quais se diz: «Se sois de Cristo, também sois descendência de Abraão e herdeiros segundo a promessa» (Gl 3,29).

É de notar que foram as mães, a do Senhor e a de João, que se anteciparam a anunciar profeticamente o nascimento de seus filhos. [...] E se foi pela sedução de uma só mulher que se introduziu no mundo a morte, agora é pela profecia de duas mulheres que se anuncia ao mundo a salvação.

Comentários

Publicação mais visitada do site no último ano:

Objetos de Devoção