Pular para o conteúdo principal

≡≡ LEITURA RECOMENDADA

O conservador na guerra hermenêutica

Contra tudo o que pode parecer comum no mundo atual, o conservador não deixa-se levar pelas pressões sociais e grupais, que muitas vezes cobram altos preços pela aquesciencia ou pelo enfrentamento de ideias e posturas sem nenhum fundamento na realidade, sem nenhuma obediência a natureza mesmo das coisas criadas e sustentadas pelo Criador.  Claro que a imensa maioria destas ideias e posturas que pressionam o conservador originam-se de mentes negadoras da existência de Deus ou negam sua fundamental influência no mundo e na história, o que faz com  estas ideias e posturas já desenvolvam-se alienadas da ideia de um criador e sustentador da existência em seu ser. Esse pressuposto já traz um bom motivo para que o conservador desconfie de qualquer "boa ação" ou "boa intenção" que possa ser apresentada a ele, sendo patrocinada e impulsionada por quem pressupostamente desconsidera o fundamento da realidade existente. Já escrevi aqui sobre a fundamental insistência da mente

Presidente da Acedemia de Latinidade: Conservar o Latim ajudará as gereções futuras a conhecer a fé

Professor Ivano Dionigi, nomeado pelo Papa Bento XVI como o novo presidente da Pontifícia Academia da Latinidade, diz que seu trabalho ajudará a fornecer respostas para as gerações futuras, para qualquer dúvida que possa ter sobre a sua fé.

Na quarta-feira 21 de novembro, o presidente do Pontifício Conselho para a Cultura, Cardeal Gianfranco Ravasi, e o Secretário de Estado do Vaticano, o cardeal Tarcisio Bertone, apresentaram a partir do Palácio do Vaticano São Pio X, a nova Academia da Latinidade.

Para estabelecer o novo órgão, em 10 de novembro, o Papa Bento XVI publicou a Carta Apostólica sob Motu Próprio  "Latina Lingua". Destina-se a promover e valorizar a língua e a cultura latina.

Em 22 de novembro, o Prof Dionigi, que é chanceler da Alma Mater Studiorum (Universidade de Bolonha), disse em entrevista à CNA / EWTN Notícias, que, enquanto os clássicos são sempre os mesmos, cada época tem suas perguntas e conhecendo o Latim vai ajudar a responder questões de nossa fé, independentemente da época.

"O texto é sempre o mesmo, latim e grego, mas as respostas são diferentes, e é necessário saber o idioma para responder essas perguntas. Pelo contrário, corremos o risco de fazer discursos sem sentido ", disse.

A Academia da Latinidade dependerá do Conselho Pontifício para a Cultura, e será composto por um máximo de 50 membros, acadêmicos e estudiosos da área, nomeados pelo Secretário de Estado do Vaticano, enquanto que a nomeação do presidente e secretário, corresponderá a Papa.
Ao estabelecer a academia, Bento XVI disse que a partir de Pentecostes, a Igreja tem falado e orou em todas as línguas dos homens, e ainda as comunidades cristãs dos primeiros séculos, amplamente utilizados grego e latim, para a comunicação universal no mundo em que viviam. Como resultado, levando as novas gerações a Palavra de Cristo.

Prof Dionigi disse que é importante que o latim esteja profundamente conhecido nas escolas, especialmente nas universidades religiosas, de forma a "criar um vínculo entre essas disciplinas de história, línguas modernas, com a língua latina," e " ver em que áreas estão confinadas, onde eles estão relacionados. "


"O Latim não é um fim, mas um meio para outras disciplinas", lembra ele.
Para Dionigi, o latim é uma língua em perigo de desaparecer, uma linguagem de poucos, além do risco de parecer mais um fenômeno ideológico do que cultural, como um símbolo do estado dos conservadores e, portanto, "deve extirpar esse preconceito."


Primeiro de tudo "é necessário para restaurar esta língua em institutos religiosos e seminários, pois é impensável que aqueles que entram no grau do sacerdócio, para estudos de ética, teologia ...", disse.
"A grande obra para este Pontifícia Academia, irá relacionar o Vaticano com o mundo secular, especialmente com as universidades", disse ele.

Esta nova entidade irá enriquecer o número de academias na Santa Sé. Até agora, Academias Pontifícias do Vaticano engajados em ciência, ciências sociais, a defesa da vida, São Tomás de Aquino, a teologia, o dogma mariano da Imaculada Virgem Maria, as artes plásticas, a arqueologia , antiguidade sacra e eclesiástica - dedicada a formação de diplomatas que trabalham nas Nunciaturas e na Secretaria de Estado.

Em sua carta de instituição da nova academia, o papa também disse que, após a queda do Império Romano do Ocidente, a Igreja Latina deve preservar e promover a perpetuar a formação e transmissão de conhecimentos.
_____________________________
**Tradução do espanhol por Blog VALDERI














Publicação mais visitada do site no último ano:

Carta de um leigo a Dom Benedito Beni dos Santos a respetio da “Missa Sertaneja” celebrada pela Comunidade Canção Nova