Pular para o conteúdo principal

≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡ LEITURA RECOMENDADA ≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡

Cooperatores veritatis

É verão e esta chovendo, aquelas típicas chuvas de verão, rápidas e de violência amena o suficiente para refrescar o ambiente. O calor excessivo não me anima a escrever, mas a chuva faz este trabalho de animação, e por isso estou aqui para escrever sobre um assunto ou ideia que estava engavetada com muitas outras. Quando falamos nos estudos acadêmicos em "buscar a verdade", "transmitir a verdade", "servir a verdade" ou mesmo em "obedecer a verdade" muitas vezes pressupõe-se a realidade VERDADE que pode-se simplesmente apresentá-la como Aristóteles, mas a verdade mesmo é uma PESSOA, e escrevo em caixa alta porque refiro-me a Deus mesmo, o Criador por excelência, fonte de toda a realidade existente. De fato, nada existe sem a consciência Divina que existe pensando em tudo e em todos, já que o seu esquecimento de alguma realidade significaria a inexistência desta realidade. Se você não chegou a esta certeza da dependência da realidade do pensamento

≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡


Maquiavelismo demoníaco

Certa vez, aqui mesmo escrevi sobre a Desonestidade Inocente (4/09/2009), descrevendo o que em minha compreensão era a manifestação – pequena – do mal em nós. Mas agora vejo mais claramente que estes pequenos atos de “desonestidade inocente” pode em um futuro não muito distante nos transformar em próprios operários do Demônio (leia personificação do mal), nos levando a tomar atitudes que a principio nos parecem “honestas” em atos destrutivos porque fundados num egoísmo que foi crescendo aos poucos desde a tenra “infância” da consciência moral. Aquilo que alguém pode julgar como honestidade consigo e com outros ou com outro, pode se revelar em uma atitude manifestante daquilo que a muito tempo era cultivada em si, ou seja, uma espécie de maquiavelismo e isto, a meu ver, já é conseqüência do “demônio” no que nos transformamos e pior, com nosso consentimento.

Certamente alguém dirá que sou exagerado, mas se realmente pensarmos no pré-existente dos atos maus é impossível não descobrir uma atitude julgada inofensiva ou irrelevante que agora seja causa principal ou segunda de tais comportamentos.

Isto meus caros, se refere a atitudes com coisas mas principalmente com pessoas.

Comentários

Publicação mais visitada do site no último ano:

Objetos de Devoção