Pular para o conteúdo principal

≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡ LEITURA RECOMENDADA ≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡

Marx e os seus dominaram a educação brasileira

Que os livros didáticos oferecidos paras as escolas no Brasil inteiro serem fundamentados em figuras como Paulo Freire, Michel de Foucault, Jonh Dewey, Antonio Gramnsci e Jean-Jacques Rosseau, é um fato notório, e basta qualquer passada de olhos nestes mesmos livros que os professores usam em suas aulas e os que eles mesmos utilizam para se formarem, para notarmos a ideologia social presente destes senhores acima citado em todos os campos do conhecimento, em todas as áreas, pois se focaram não no conteúdo em si das matérias mas na forma, na didática utilizada, tornando assim qualquer matéria meio de formação segundo a ideologia que desejam fixar nas gerações. No trecho destacado abaixo, percebe-se o porque existe uma mudez nacional acerca desta formação ideológica ministrada nas escolas por quase todos os professores. Tirado do site Wikipedia O final deste trecho é o mais importante, pois é através dele que podemos perceber a profundidade e extensão do problema a se enfrentar. As obras

BEM VINDO

O sacerdote e o filho

Durante muitos anos, um sacerdote brâmane cuidava de uma capela; quando precisou viajar, pediu a seu filho que se encarregasse das tarefas diárias até o seu retorno. Entre essas tarefas, o menino devia colocar a oferenda de alimento diante da Divindade, e observar se Ela comia.

O garoto dirigiu-se, animado, até o templo onde o pai trabalhava. Colocou o alimento, e ficou aguardando as reações da imagem. O resto do dia ficou ali.
E a estátua permaneceu imóvel. O menino, porém, fiel às instruções de seu pai, estava certo de que a Divindade desceria do altar para receber sua oferenda.
Depois de muita espera, ele suplicou:
- Oh Senhor, vinde e comei! Já é muito tarde já não posso esperar mais. Nada aconteceu. Ele então começou a gritar:
- Senhor, meu pai me pediu que eu estivesse aqui quando o Senhor descesse, para aceitar a oferta. Por que não o fazeis? Só comeis a oferenda das mãos de meu pai? O que eu fiz de errado? E chorou copiosamente por muito tempo.
Quando ergueu os olhos e limpou as lágrimas, levou um susto: ali estava a Divindade, alimentando-se com que lhe tinha sido oferecido.
Alegre, o menino voltou correndo para casa. Qual foi sua surpresa quando um de seus parentes lhe disse:
- O serviço terminou.
Onde está a comida?
- Mas o Senhor a comeu - respondeu surpreso, o menino.
Todos ficaram assombrados:
- O que estás dizendo?
Repete, pois não ouvimos bem.
O menino repetiu:
- O Senhor comeu tudo que lhe ofereci.
- Não é possível! - disse um tio
.- Seu pai lhe disse apenas para observar se ela comia.
Todos nós sabemos que este é um ato meramente simbólico. Você deve ter roubado a comida.
O menino, porém, não mudou sua história, mesmo quando o ameaçaram com uma surra.
Desconfiados, os familiares foram até o templo, e encontraram a Divindade sentada, sorrindo.
- Um pescador lançou ao rio a sua rede e conseguiu uma boa pesca - disse a Divindade.
- Alguns peixes estavam imóveis, sem fazer nenhum esforço para saírem.
Outros lutavam desesperadamente, saltando, mas sem conseguir escapar.
Só uns poucos eram afortunados em sua luta e conseguiam escapar.
"Assim como os peixes, três tipos de homens vieram aqui para me trazer oferendas: uns não quiseram conversar comigo, achando que eu não ia responder. Outros tentaram, mas desistiram logo - com medo da decepção. Entretanto, este menino foi até o fim, e Eu, que jogo com a paciência e a perseverança dos homens, terminei por aceitar o que trazia".

Comentários

Publicação mais visitada do site no último ano:

Objetos de Devoção