Pular para o conteúdo principal

≡≡ LEITURA RECOMENDADA

O conservador na guerra hermenêutica

Contra tudo o que pode parecer comum no mundo atual, o conservador não deixa-se levar pelas pressões sociais e grupais, que muitas vezes cobram altos preços pela aquesciencia ou pelo enfrentamento de ideias e posturas sem nenhum fundamento na realidade, sem nenhuma obediência a natureza mesmo das coisas criadas e sustentadas pelo Criador.  Claro que a imensa maioria destas ideias e posturas que pressionam o conservador originam-se de mentes negadoras da existência de Deus ou negam sua fundamental influência no mundo e na história, o que faz com  estas ideias e posturas já desenvolvam-se alienadas da ideia de um criador e sustentador da existência em seu ser. Esse pressuposto já traz um bom motivo para que o conservador desconfie de qualquer "boa ação" ou "boa intenção" que possa ser apresentada a ele, sendo patrocinada e impulsionada por quem pressupostamente desconsidera o fundamento da realidade existente. Já escrevi aqui sobre a fundamental insistência da mente

Anúncios eróticos para estudantis na Holanda

Saiu hoje (01/09/2010) no site da G1 a notícia de que um Guia estudantil em uma universidade da Holanda tinha um anúncio de um site erótico sem os responsáveis da universidade saberem de tal anúncio. Ora, e isso é possível? É difícil imaginar que os devidos responsáveis de uma instituição que se encarega da educação dos demais deixe passar despercebido um detalhe importante como este.

Sem querer me juntar ao grupo dos que vêem conspiração em tudo, vejo neste fato um complemento do que neste mundo esta se tentando instaurar, ou seja, uma “cultura” erótica aliada a uma “cultura” da anarquia e a “cultura” da morte.

Parece exagero?! Mas vejamos, alguém desde sua adolescência “educado” com uma eroticidade epidérmica muitas vezes defendida como natural, vai crescer aos poucos com uma mentalidade sempre inclinada a importância exagerada do corpo e principalmente do corpo dos outros! Assim temos pessoas inclinadas a dar atenção exacerbada a atração que sentimos (isso sim, naturalmente) pelo sexo oposto fazendo disso grande ocupação quase diária, como é o trabalho cotidiano.

Depois disso, a pessoa já adulta – suposta madura – não consegue mais esquecer ou anular de sua consciência os vários “ensinos” eróticos que eram inculcados desde sua adolescência. Estes acabam levando, até a pessoa mais sincera em buscar um nível de pureza mental e espiritual, grande número de pessoas a não sustentarem nem sequer seus relacionamentos na idade madura, diria que o divórcio ou a separação é o grande fruto desta “cultura” erótica.

Sites como o do anúncio mencionado promovem esta “cultura” tento como grande virtude a promiscuidade.

Comentários

Publicação mais visitada do site no último ano:

Carta de um leigo a Dom Benedito Beni dos Santos a respetio da “Missa Sertaneja” celebrada pela Comunidade Canção Nova