Pular para o conteúdo principal

≡≡ LEITURA RECOMENDADA

O conservador na guerra hermenêutica

Contra tudo o que pode parecer comum no mundo atual, o conservador não deixa-se levar pelas pressões sociais e grupais, que muitas vezes cobram altos preços pela aquesciencia ou pelo enfrentamento de ideias e posturas sem nenhum fundamento na realidade, sem nenhuma obediência a natureza mesmo das coisas criadas e sustentadas pelo Criador.  Claro que a imensa maioria destas ideias e posturas que pressionam o conservador originam-se de mentes negadoras da existência de Deus ou negam sua fundamental influência no mundo e na história, o que faz com  estas ideias e posturas já desenvolvam-se alienadas da ideia de um criador e sustentador da existência em seu ser. Esse pressuposto já traz um bom motivo para que o conservador desconfie de qualquer "boa ação" ou "boa intenção" que possa ser apresentada a ele, sendo patrocinada e impulsionada por quem pressupostamente desconsidera o fundamento da realidade existente. Já escrevi aqui sobre a fundamental insistência da mente

Família: solidez e sustentabilidade

Nesta semana que lembramos com mais atenção a vocação familiar cabe mais do que nunca se refletir e tomar posição a favor da família.

O que vemos nos dias atuais é uma onda cada vez mais crescente de ofensivas contra a família constituida como ela sempre deve ser entendia respeitando sua natureza inalienável. O que muitos países estão ferindo gravemente por considerar “relativo” o próprio conceito de família adulterando a composição natural desta constituição. Quando vemos opiniões a favor de “casamentos” entre homossexuais logo ouvimos que é um “direito” deles por isso o Estado legaliza esta união, mas o que acaba se deixando de lado é o desmantelamento da figura familiar dando a ela outra caricatura qualquer que não irá trazer sustentabilidade psicológica e emocional ao pretenso lar. Claro que não julgo as pessoas com tendência homossexuais, mas condeno e repúdio completamente “família” que estes querem formar apoiados pelas leis do Estado, principalmente porque se trata de mais um “andar para trás” na desenvolvimento da humanidade.

A família formada como a conhecemos, pai, mãe e filhos sempre traram a solidez necessária a qualquer que busca equilibrio humano, seja na sociedade seja no campo pessoal. Cadê aqueles que a anos atrás esbravejavam sobre a necessidade do femino e do masculino na vida de qualquer pessoa?! A necessidade da família vai além de meus prazeres pessoais, refere-se a responsabidade com aqueles que viram desta união e por consequencia com a sociedade.

É completamente falsa a idéia de “pensamento antiguado” a de lutar pelas bases da família pois se trata de lutar antes pela verdade indissolúvel que não é relativa, por isso não muda com o passar dos anos. Com isto pode-se em realidade, pensar nas inúmeras barbáries que assistimos hoje em dia, pessoas que detêm o poder brincando com coisa séria, ou seja, falo aqui da própria verdade natural das coisas, seja família (no caso do “casamento” homossexual), seja a vida (no caso do aborto, eutanásia).

Esta semana e sempre lutemos pela família e a vida.

Comentários

Publicação mais visitada do site no último ano:

Carta de um leigo a Dom Benedito Beni dos Santos a respetio da “Missa Sertaneja” celebrada pela Comunidade Canção Nova