Pular para o conteúdo principal

≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡ LEITURA RECOMENDADA ≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡

Marx e os seus dominaram a educação brasileira

Que os livros didáticos oferecidos paras as escolas no Brasil inteiro serem fundamentados em figuras como Paulo Freire, Michel de Foucault, Jonh Dewey, Antonio Gramnsci e Jean-Jacques Rosseau, é um fato notório, e basta qualquer passada de olhos nestes mesmos livros que os professores usam em suas aulas e os que eles mesmos utilizam para se formarem, para notarmos a ideologia social presente destes senhores acima citado em todos os campos do conhecimento, em todas as áreas, pois se focaram não no conteúdo em si das matérias mas na forma, na didática utilizada, tornando assim qualquer matéria meio de formação segundo a ideologia que desejam fixar nas gerações. No trecho destacado abaixo, percebe-se o porque existe uma mudez nacional acerca desta formação ideológica ministrada nas escolas por quase todos os professores. Tirado do site Wikipedia O final deste trecho é o mais importante, pois é através dele que podemos perceber a profundidade e extensão do problema a se enfrentar. As obras

BEM VINDO

Casamento “perfeito” existe num sacramento: matrimônio

Entre tantas faláceas e mexericos principalmente de setores da imprensa que fazem crescer o vício da fofoca na sociedade, falou-se do triste fim do casamento dos atores Edson Celulari e Cláudia Raia. Pessoalmente tinha uma certa admiração pelos dois, principalmente porque davam exemplo de casamento estável sem alaridos na imprensa, coisa que agora causa decepção pelo seu recente, mas tranquilo, divórcio.
Não somente na internet apareceu esta notícia (que já faz alguns dias), mas também na imprensa escrita e sem espanto li no jornal Zero Hora, mas especificamente em seu caderno Donna, uma reflexão em torno deste fato comentado. Dizia a reflexão se existe casamento perfeito. Pois bem, acredito que seja mais que óbvio dizer que não existe. Mas em uma reflexão mais séria e profunda tal casamento pode ser considerado perfeito quando abençoado por Deus, ou seja, tendo como testemunha fiel deste “contrato” o criador dos dois, noivo e noiva dispostos ali a viverem um com o outro e um para o outro por toda a vida.
Nesta reflexão do jornal, uma terapeuta de casais dizia:
“– As pessoas colocam nessas figuras da mídia sua idealização do casamento perfeito e, quando uma dessas uniões chega ao fim, a sensação é de frustração, a idealização desmorona.” (cf. A fantasia da perfeição, pg. 10)
O casamento abençoado ou sacramentado conforme pede este Sacramento do Matrimônio, não precisa de figuras idealísticas para que o casal possa se projetar ou se espelhar. O casal vai procurar viver como pessoa honesta e temente a Deus e junto a isso agregará com o sacramento o convivio com outra pessoa pelo resto de sua vida. Por isso, casamentos que não chamam a atenção da mídia e que são fundados em valores do próprio matrimônio não desmoronam porque não conta com uma idealização.
Repito que casamento perfeito obviamente não pode existir enquanto existirem nossas imperfeições como ser humano, mas o estado matrimonial alcançado pelo casal pode ser perfeito enquanto cumprem a finalidade deste sacramento.

Comentários

Publicação mais visitada do site no último ano:

Objetos de Devoção