Pular para o conteúdo principal

≡≡ LEITURA RECOMENDADA

O conservador na guerra hermenêutica

Contra tudo o que pode parecer comum no mundo atual, o conservador não deixa-se levar pelas pressões sociais e grupais, que muitas vezes cobram altos preços pela aquesciencia ou pelo enfrentamento de ideias e posturas sem nenhum fundamento na realidade, sem nenhuma obediência a natureza mesmo das coisas criadas e sustentadas pelo Criador.  Claro que a imensa maioria destas ideias e posturas que pressionam o conservador originam-se de mentes negadoras da existência de Deus ou negam sua fundamental influência no mundo e na história, o que faz com  estas ideias e posturas já desenvolvam-se alienadas da ideia de um criador e sustentador da existência em seu ser. Esse pressuposto já traz um bom motivo para que o conservador desconfie de qualquer "boa ação" ou "boa intenção" que possa ser apresentada a ele, sendo patrocinada e impulsionada por quem pressupostamente desconsidera o fundamento da realidade existente. Já escrevi aqui sobre a fundamental insistência da mente

Veritas via

Na longa estrada da vida sempre existem vários trevos e esquinas por onde podemos seguir, várias estradinhas asfaltadas ou de chão batido sem o menor cuidado, algumas com boa sinalização outras com pouquíssimas placas iindicadoras ou quem sabe alguma estradinha sem nenhuma sinalização. O que me parece insensato (no mínimo) é a contraditória vida do ser humano, ou melhor, contraditório quando se trata de percorrer  as vias em sua vida.

No trânsito todos reclamam e as vezes fazem protestos quando uma estrada leva ao nada ou esta mal sinalizada, ou seja, estradas que não lhes informam onde estam, se falta muito para chegar a tal jugar ou indicações de outros caminhos. Na vida pouco parece importar estes interesses. Todos percorrem vias, alguns escolhem uns caminhos sem se preocupar com a má sinalização, sem se preocupar se este caminho os levará ao nada. Caminhos aparecem na vida de todos em número tão grande como os que temos em nossas cidades. Alguns desses em nossa vida não têm volta, como o aborto, a infidelidade matrimonial, a eutanásia, etc.

Ninguém hoje em dia é desinformado sobre o caminho verdadeiro; muitos ainda não o reconhecem como veritas via mas todos já ouviram falar dele, Jesus.

Não falo por pietismo, mas porque sei reconhecer na doutrina de Cristo as placas indicativas que marcam a veritas via por onde todos chegam a felicidade plena. Não existem dois caminhos para se chegar a esta felicidade, o que pode acontecer é termos desvios no decorrer da vida que nos chamam através de placas enganadoras como “a ciência pode explicar…”, “tudo é um direito seu…”, “isto é relativo”, estas frase fazem muitos errarem o único caminho que leva todos a realização plena da natureza humana.

A grande propaganda dos outros “caminhos” é vender a imagem de estrada esburacada da veritas via, eles tentam por vários métodos tornar a VERDADE mentira, fazendo com que os homens e mulheres não siguam este caminho. Mas eles vendem os seus caminhos? Não necessariamente. O importante é que ninguém trilhe o CAMINHO DA VERDADE, para que tudo possa ser como eles querem, relativo.

Comentários

Publicação mais visitada do site no último ano:

Carta de um leigo a Dom Benedito Beni dos Santos a respetio da “Missa Sertaneja” celebrada pela Comunidade Canção Nova