Pular para o conteúdo principal

≡≡ LEITURA RECOMENDADA

O conservador na guerra hermenêutica

Contra tudo o que pode parecer comum no mundo atual, o conservador não deixa-se levar pelas pressões sociais e grupais, que muitas vezes cobram altos preços pela aquesciencia ou pelo enfrentamento de ideias e posturas sem nenhum fundamento na realidade, sem nenhuma obediência a natureza mesmo das coisas criadas e sustentadas pelo Criador.  Claro que a imensa maioria destas ideias e posturas que pressionam o conservador originam-se de mentes negadoras da existência de Deus ou negam sua fundamental influência no mundo e na história, o que faz com  estas ideias e posturas já desenvolvam-se alienadas da ideia de um criador e sustentador da existência em seu ser. Esse pressuposto já traz um bom motivo para que o conservador desconfie de qualquer "boa ação" ou "boa intenção" que possa ser apresentada a ele, sendo patrocinada e impulsionada por quem pressupostamente desconsidera o fundamento da realidade existente. Já escrevi aqui sobre a fundamental insistência da mente

TV “emburrece”

A muito tempo que se ouve dizer que assistir compulsivamente televisão “emburrece” as pessoas. Não somente pelos programas que cada vez mais estão se demonstrando deleite de zumbis, mas pela própria ociosidade mental que a enxurrada de imagens televisivas transmitem a quem o assiste.
Vejo um pequeno exemplo em minha mãe, depois de tantos anos “tendo” como atrativo a TV agora não consegue  nem conversar com comigo quando estou com ela. Algo familiar?! Já me falaram de inúmeros lares em que a televisão se transformou em estopim de guerra, pois o ser humano não consegue “desligar-se” daquilo que o “ligou”.
Uma máxima completamente equivocada dita a quatro contos é a que a pessoa esta “viciada em televisão”. Realmente a televisão tida como “droga alucinógena  vicia, mas muitos tratam disto com um tom de normalidade. Ora, o normal é conversar com os familiares, ser livre para levantar da cadeira e sair a hora que quiser sem se prender por inanimado. Tornar o “vício” em televisão “normal” é algo que a sociedade inversora de valores esta querendo propôr, e isto é promovido principalmente pela própria televisão.
No jornal Zero Hora em seu caderno Vida, li uma pequena visão de especialistas que mostram o quanto isso pode ser prejudicial a mente das pessoas, principalmente as pessoas mais velhas.
“ASSISTIR À TV ESTIMULA A MENTE
Mito. A TV é um importante canal de informação e entretenimento, mas pouco estimula o cérebro. O hábito de ficar muito tempo na frente do aparelho acaba causando a perda das reservas cognitivas.” (Zero Hora, Vida)
No site Yahoo! Respostas encontrei esta enquete:
“Vc acha que a tv "emburrece" ás pessoas?”, a maioria das respostas são substânciais.






Comentários

Publicação mais visitada do site no último ano:

Carta de um leigo a Dom Benedito Beni dos Santos a respetio da “Missa Sertaneja” celebrada pela Comunidade Canção Nova