Pular para o conteúdo principal

≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡ LEITURA RECOMENDADA ≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡

Cooperatores veritatis

É verão e esta chovendo, aquelas típicas chuvas de verão, rápidas e de violência amena o suficiente para refrescar o ambiente. O calor excessivo não me anima a escrever, mas a chuva faz este trabalho de animação, e por isso estou aqui para escrever sobre um assunto ou ideia que estava engavetada com muitas outras. Quando falamos nos estudos acadêmicos em "buscar a verdade", "transmitir a verdade", "servir a verdade" ou mesmo em "obedecer a verdade" muitas vezes pressupõe-se a realidade VERDADE que pode-se simplesmente apresentá-la como Aristóteles, mas a verdade mesmo é uma PESSOA, e escrevo em caixa alta porque refiro-me a Deus mesmo, o Criador por excelência, fonte de toda a realidade existente. De fato, nada existe sem a consciência Divina que existe pensando em tudo e em todos, já que o seu esquecimento de alguma realidade significaria a inexistência desta realidade. Se você não chegou a esta certeza da dependência da realidade do pensamento

≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡


Medo e coragem: sentimentos necessários

No caderno Donna do Jornal Zero Hora (20/06/2010) li um interessante artigo de Marta Medeiros falando basicamente sobre o medo e a coragem que apresentamos em nossa vida mediante situações que as vezes são limítrofes.
Nossa vida é uma constante situação de risco seja na dimensão puramente humana seja na dimensão espiritual. Quando me refiro em situações na dimensão humana me vem a mente muitíssimas situações como por exemplo apagar a luz do quarto para dormir, ou dizer não ao seu chefe. Assim vejo configurado o medo, que na verdade é o que impulsiona todos a tomarem esta ou aquela atitude que parece dissonante ao realmente adequado em tal situação. Neste sentido o medo faz parte essencial em nossas decisões, seja para confirmar algo ou discordar de algo, ou ainda, fazer algo ou não fazê-lo. Por isso, digo que o medo de fazer alguma coisa é parcialmente positivo porque faz-nos reagir. Mas todo medo é parcialmente positivo? Sou obrigado a dizer que não, visto que muitos tem medo de andar de bicicleta e outros medo de falar com assaltante em meio a assalto. São medos diferentes. Um pode trazer uma reação positiva se a resposta for negativa outro apenas me restringe de um prazer, no caso da bicicleta.
Mas o sentimento de coragem que está igualmente incluso no ser humano também provoca estas resposta. É uma outra força que nos faz mais ágeis para determinada situação quando o sentimento de medo nos iria atravancar. Coragem nos leva a fazer isto ou aquilo sem dar muita importância com o resultado, sendo as vezes um tiro no escuro, mas facilmente pode ser tida como ousadia. Coragem impede o homem de ser refém das circunstâncias, e o faz senhor de sua vida, de suas ações sabendo que pode se recuperar sempre caso a coragem o leve ao desabamento. 
Medo o faria ficar na indigência, mas coragem o faz se levantar e começar do zero. Por isso coragem se torna um sentimento mais nobre e eficaz no ser humano apesar de serem sentimentos necessários.

Comentários

Publicação mais visitada do site no último ano:

Objetos de Devoção