Pular para o conteúdo principal

≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡ LEITURA RECOMENDADA ≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡

Cooperatores veritatis

É verão e esta chovendo, aquelas típicas chuvas de verão, rápidas e de violência amena o suficiente para refrescar o ambiente. O calor excessivo não me anima a escrever, mas a chuva faz este trabalho de animação, e por isso estou aqui para escrever sobre um assunto ou ideia que estava engavetada com muitas outras. Quando falamos nos estudos acadêmicos em "buscar a verdade", "transmitir a verdade", "servir a verdade" ou mesmo em "obedecer a verdade" muitas vezes pressupõe-se a realidade VERDADE que pode-se simplesmente apresentá-la como Aristóteles, mas a verdade mesmo é uma PESSOA, e escrevo em caixa alta porque refiro-me a Deus mesmo, o Criador por excelência, fonte de toda a realidade existente. De fato, nada existe sem a consciência Divina que existe pensando em tudo e em todos, já que o seu esquecimento de alguma realidade significaria a inexistência desta realidade. Se você não chegou a esta certeza da dependência da realidade do pensamento

≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡


Hakone e Copacabana

Copacabana, Rio de Janeiro:
Eu e minha mulher a encontramos na esquina  da Rua Constante Ramos, em Copacabana. Tinha aproximadamente sessenta anos, estava numa cadeira de rodas, perdida no meio da multidão. Minha mulher ofereceu-se para ajudá-la: ela aceitou, pedindo que a levássemos até a Rua Santa Clara.
Alguns sacos plásticos pendiam da cadeira de rodas. No caminho, nos contou que aqueles eram todos os seus pertences; dormia sob as
marquises, e vivia de esmolas. Chegamos ao lugar indicado; ali estavam reunidos outros mendigos. A mulher tirou de um dos sacos plásticos dois pacotes de leite e distribuiu para o grupo. - Fazem caridade comigo, preciso fazer caridade com os outros - foi seu
comentário.
Hakone, Japão:
Consigo que meu editor, Masao Masuda, finalmente me convide para tradicional cerimônia do chá. Ele acha que não vou entender direito: "não acontece nada especial". Vamos para uma montanha perto de Hakone, entramos num pequeno quarto, e sua irmã, vestida ritualmente em quimono, nos serve chá. paulo coelho

Só isso: mas tudo é feito com tanto seriedade e protocolo, que uma prática cotidiana transforma-se num momento de comunhão com o Universo. O mestre do chá, Okakusa Kasuko, explica: "a cerimônia é a adoração do belo. Todo seu esforço concentra-se na tentativa de atingir o Perfeito através dos gestos imperfeitos da vida cotidiana. Toda a sua beleza consiste em respeitar as coisas simples que fazemos, pois elas podem nos transportar até Deus".
Copacabana, Rio de Janeiro: Estou andando pelo calçadão, e escuto uma moça dizendo para a outra: "programei minha vida da seguinte
maneira..."
Será que ela conta com as coisas que aparecem justamente quando não estamos esperando? Pensou que Deus talvez tenha um plano diferente, e muito mais interessante? Levou a sério a hipótese de que -ao incluir outras pessoas na sua programação - esteja interferindo em
idéias e projetos distintos?
Não sei se a frase que escutei era fruto da inexperiência ou do delírio total. Hakone, Japão: Pergunto a Masao Masuda como os japoneses
conseguiram conquistar mercados que antes eram dominados pelos americanos.
- Muito simples: os americanos têm uma idéia, trancam-se numa sala com pesquisas, tomam decisões, e gastam uma energia imensa para provar que estavam certos. Nós não queremos provar nada a ninguém: deixamos que cada ser humano manifeste suas necessidades, e procuramos solucioná-las.
O resultado prático é que cada um termina comprando aquilo que já desejava antes. "Quem só deseja demonstrar que está certo, termina por agir errado".

Comentários

Publicação mais visitada do site no último ano:

Objetos de Devoção