Pular para o conteúdo principal

≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡ LEITURA RECOMENDADA ≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡

Marx e os seus dominaram a educação brasileira

Que os livros didáticos oferecidos paras as escolas no Brasil inteiro serem fundamentados em figuras como Paulo Freire, Michel de Foucault, Jonh Dewey, Antonio Gramnsci e Jean-Jacques Rosseau, é um fato notório, e basta qualquer passada de olhos nestes mesmos livros que os professores usam em suas aulas e os que eles mesmos utilizam para se formarem, para notarmos a ideologia social presente destes senhores acima citado em todos os campos do conhecimento, em todas as áreas, pois se focaram não no conteúdo em si das matérias mas na forma, na didática utilizada, tornando assim qualquer matéria meio de formação segundo a ideologia que desejam fixar nas gerações. No trecho destacado abaixo, percebe-se o porque existe uma mudez nacional acerca desta formação ideológica ministrada nas escolas por quase todos os professores. Tirado do site Wikipedia O final deste trecho é o mais importante, pois é através dele que podemos perceber a profundidade e extensão do problema a se enfrentar. As obras

BEM VINDO

SOM & FÚRIA

A arte existe desde os primórdios na vida do ser humano, contêm vários meandros, que por vezes escapam de nosso campo de percepção. É claro que dentre estes meandros está as artes cênicas, mais especificamente o teatro.
Mas o teatro não é bem contemplado pela maioria nos dias atuais?
Claro que o teatro no campo das artes cênicas, como outras ramificações da arte, está atualmente contemplado e visto por várias pessoas em nossa população, mas falo “do teatro”, daquilo que faz o teatro. E isso tivemos a satisfação de ver na minissérie Som & Fúria apresentada pela Rede Globo.
Esta minissérie que estreou dia 07 de julho teve no elenco grandes personagens de nossa televisão. Estes fizeram deste programa uma passarela de grandes atores e atrizes. Som & Fúria apresentou o teatro como ele é, como ele é montado, em seus mais satisfatórios momentos como em suas peripécias às vezes inevitáveis no mundo artístico. Tudo requer trabalho e dedicação!
A trama da minissérie tem como personagem principal Dante. Ele assume o teatro Municipal após a morte do diretor artístico – Oliveira – que faleceu logo após uma apresentação de Sheskepeare que não teve muito sucesso. Esta apresentação fazia parte de uma série de apresentações numa temporada de clássicos.
Dante, então, foi escolhido para sucedê-lo, uma vez que os dois, Dante e Oliveira, já haviam trabalhados juntos em uma peça e mais ainda porque Oliveira assim o manifestava em seu testamento. Mas a fama de Dante o precedia: lunático. E isso o vai acompanhar durante a fase inteira da minissérie.
Nisto tudo o falecido Oliveira começa a assombrar Dante com a desculpa de dar-lhe uma mãozinha com as peças. Dante se vê então com um teatro a beira da falência, tachado de doido e com um fantasma na cola. E se tudo isso ainda não bastasse, Dante se vê as voltas com um elenco que não colabora muito pelas suas esquisitices. Sendo o mais complicado seu caso embaralhado com a atriz mais “experiente” do teatro que tem complexo de ser velha e já ultrapassada.
Teatro é vida dura, mas é show!

Pax Christi

Comentários

Publicação mais visitada do site no último ano:

Objetos de Devoção