Pular para o conteúdo principal

≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡ LEITURA RECOMENDADA ≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡

Marx e os seus dominaram a educação brasileira

Que os livros didáticos oferecidos paras as escolas no Brasil inteiro serem fundamentados em figuras como Paulo Freire, Michel de Foucault, Jonh Dewey, Antonio Gramnsci e Jean-Jacques Rosseau, é um fato notório, e basta qualquer passada de olhos nestes mesmos livros que os professores usam em suas aulas e os que eles mesmos utilizam para se formarem, para notarmos a ideologia social presente destes senhores acima citado em todos os campos do conhecimento, em todas as áreas, pois se focaram não no conteúdo em si das matérias mas na forma, na didática utilizada, tornando assim qualquer matéria meio de formação segundo a ideologia que desejam fixar nas gerações. No trecho destacado abaixo, percebe-se o porque existe uma mudez nacional acerca desta formação ideológica ministrada nas escolas por quase todos os professores. Tirado do site Wikipedia O final deste trecho é o mais importante, pois é através dele que podemos perceber a profundidade e extensão do problema a se enfrentar. As obras

BEM VINDO

SACERDÓCIO: COERÊNCIA?


Evidente que não pretendo superestimar a inteligência de todos a respeito do ministério sacerdotal. Desejo neste momento falar desta que parece ser mais do que tudo conseqüência do dom vivido! Coerência sacerdotal.
E começo citando um trecho de uma carta que o estimado Secretário da Congregatio pro Clericis, Arcebispo dom Mauro Piacenza, titular de Victorinana, escreveu aos estimados sacerdotes do mundo em ocasião da proximidade do Ano Sacerdotal. Diz ele nesta carta: “Para que conversão? Converter-se para ser sempre mais autenticamente aquilo que somos. Conversão à nossa identidade eclesial para que o ministério seja totalmente conseqüente a tal identidade, a fim de que uma renovada e gozosa consciência do nosso “ser” determine o nosso “agir”, ou melhor, ofereçamos espaço a Cristo Bom Pastor, a fim de que viva em nós e atue através de nós”.
Muita coisa daí pode se tirar. Mas para começo destacamos aqui esta preciosidade, “para que o ministério seja totalmente conseqüente a tal identidade”. Ora, que identidade? O sacerdote sabe qual a sua identidade? Ou como alguns “grandes” teólogos dizem por aí, que eles estão procurando?! Não podemos nos calar, o sacerdote não deve procurar, ele já tem uma identidade que a ele se manifestou desde que surgiu sua vocação. Nada de ficar ainda procurando, pois nunca se irá encontrar uma identidade que realmente já existe em cada padre. CRISTO, e somente Ele é a real identidade. Ou como diz o arcebispo Piacenza, “a nossa espiritualidade [ou identidade que dela resulta] não pode ser outra que o reflexo da espiritualidade de Cristo, único e Sumo Sacerdote do Novo Testamento”.
O agir de cada padre! Isto tanto preocupa os fiéis! Ninguém nega que cada sacerdote traz consigo suas mazelas e atributos pessoais para o ministério, mas como agem alguns padres! “...nosso ser determine nosso agir”. Para quem se preparou e não pouco estudou, sabe que apesar da graça divina nossa razão sempre deve falar e orientar. Pois ela direciona nossos passos iluminada pela fé. Por isso, penso ser tão difícil ver isto em ações de determinados padres. Só posso pensar que para alguns falta a fé, pois a razão, muitos demonstram que tem e muito bem. E dizendo isso, só posso pensar que falta então “ser”. Falta ser sacerdote para ensinar! Falta ser sacerdote para governar! Falta ser sacerdote para profetizar! E diria mais, falta ser sacerdote para curar!
Pode-se mudar isso na vida de cada um muito facilmente. Basta algo bem simples: Conversão! Esta atitude não é uma graça (entenda-se bem o que digo), é mais uma posição que tomo frente ao mundo, porque deixo o mundo – viro as costas para seus prazeres – para me virar para Cristo. Com esta atitude Cristo pode me encher de graças, por que vê o caminho do coração desprendido das coisas terrenas e aberto à felicidade eterna, imperecível.
Coerência depende do “ser” e não do agir!

Pax Christi

Comentários

Publicação mais visitada do site no último ano:

Objetos de Devoção