Pular para o conteúdo principal

≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡ LEITURA RECOMENDADA ≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡

Marx e os seus dominaram a educação brasileira

Que os livros didáticos oferecidos paras as escolas no Brasil inteiro serem fundamentados em figuras como Paulo Freire, Michel de Foucault, Jonh Dewey, Antonio Gramnsci e Jean-Jacques Rosseau, é um fato notório, e basta qualquer passada de olhos nestes mesmos livros que os professores usam em suas aulas e os que eles mesmos utilizam para se formarem, para notarmos a ideologia social presente destes senhores acima citado em todos os campos do conhecimento, em todas as áreas, pois se focaram não no conteúdo em si das matérias mas na forma, na didática utilizada, tornando assim qualquer matéria meio de formação segundo a ideologia que desejam fixar nas gerações. No trecho destacado abaixo, percebe-se o porque existe uma mudez nacional acerca desta formação ideológica ministrada nas escolas por quase todos os professores. Tirado do site Wikipedia O final deste trecho é o mais importante, pois é através dele que podemos perceber a profundidade e extensão do problema a se enfrentar. As obras

BEM VINDO

Hitler quis assassinar papa em represália a prisão de Mussolini

Cidade do Vaticano, 16 jun (EFE).- O ditador nazista Adolf Hitler queria assassinar o papa Pio XII em represália à detenção do líder fascista italiano Benito Mussolini em julho de 1943, diz hoje o jornal dos bispos italianos, "Avvenire".PUBLICIDADE
Em artigo intitulado "Julho de 43, Hitler queria eliminar Pio XII", a publicação da Conferência dos Bispos da Itália revela um plano organizado pelo quartel-General da Segurança do Reich, em Berlim.
A informação foi passada ao "Avvenire" por Niki Freytag von Loringhoven, filho de um dos personagens-chave desse plano, o coronel Wessel Freytag von Loringhoven.
Agora com 72 anos, contou ao jornal que entre os dias 29 e 30 de julho de 1943, houve em Veneza um encontro secreto entre o chefe da contra-espionagem alemã, Wilhelm Canaris, com seu colega italiano, general Cesare Amei, do qual o coronel participou.
Durante o encontro, os alemães - que segundo o "Avvenire" não nutriam "simpatia" pelo regime nazista - informaram Amei sobre as intenções do führer de "se vingar" da prisão de Mussolini em julho de 1943 contra o rei Vitor Emanuel III ou o papa Pio XII.
De volta a Roma, o general italiano divulgou a notícia, que chegou aos ouvidos do embaixador da Alemanha perante a Santa Sé e, com isso, o plano foi abandonado, diz a publicação dos bispos.
Parte do papado de Pio XII (1939-1958) transcorreu durante os anos do nazismo. Muitos historiadores o acusam de ter sido antissemita e de não ter agido com mais força contra o regime de Hitler, algo sempre negado pelo Vaticano. EFE

Comentários

Publicação mais visitada do site no último ano:

Objetos de Devoção