DIREITOS AUTORAIS
:: Ao compartilhar algum texto, sempre citar a fonte ::
Todos os artigos não assinados são de autoria e propriedade de Valderi da Silva, administrador deste blog.

Carta-resposta do Papa ao Lula


Foi publicada hoje na mídia nacional uma carta resposta assinada pelo Papa Francisco ao presidiário Luiz Inácio Lula da Silva, que se encontra preso em Curitiba (PR). Diante de tantas mentiras que a mídia nacional em seus veículos de informação já alastraram anos a fora, fica difícil acreditar na autenticidade desta carta, mas ao que parece, ate o momento ela talvez não tenha sido escrita pelo Papa mas teria sido apresentada a ele e teria autorizado o despacho.

O teor desta carta foi conseguido através de pessoas que se dizem próximas do Vaticano, e este podemos conferir abaixo.

Mesmo não podendo ainda confirmar a autenticidade, coisa que somente farei com algum pronunciamento da Santa Sé, podemos falar de algumas coisas, da inciativa de Lula em enviar uma carta ao Papa, do teor desta possível resposta e da possibilidade ou não de rechaçar esta atitude do Papa, como católico.

Primeiro, sabemos que Lula e seus companheiros sempre fizeram de tudo para coaptar apoio de personalidades publicas a fim de qualificar seu discurso - seja qual for -, pois com as provas contra ele, sustentar o discuso de vitima e inocente diante de um juiz malvadão (Sergio Moro) e diante de um inimigo politico (Bolsonaro) requer alguma ajuda externa que precisa fugir do circulo partidário do PT. Neste sentido o Papa Francisco parece ser alguém bem propicio, pois Lula sabe do viés libertário na qual o Papa formou-se e pastoreou durante anos e que agora leva um pouco consigo para o apostolado petrino. Mesmo que digamos que o Papa não seja ingenuo e que deveria saber da repercussão, ele sempre foi pastor e um pastor sempre responde a quem o provoca de alguma forma.


E por isso precisamos falar do teor desta possível carta resposta do Santo Padre. Como podemos observar, ela é breve e não toca em assuntos que interfiram em decisões jurídicas do Brasil, ou seja, o Papa não menciona se ele é culpado ou inocente, e isso precisamos ser honestos para verificarmos. Ele especialmente se solidariza com Lula pelos falecimentos de três familiares, e oferece suas orações por eles, e isso é coisa de Pastor, não é? Depois a carta fala em momento difícil que Lula esta passando, mas observem que não fala em momento injusto ou coisa do tipo, e logo apela para uma reflexão sobre a ressurreição de Cristo, pois vivemos o momento da Páscoa. De maneira que seu teor não chega a inocentar e nem criminalizar Lula, mas é uma carta cristã, que até pretende motivar o presidiário a reflexão espiritual. Se ele vai saber fazer isso é outra historia.

Por fim, como católico posso desaprovar e rechaçar esta atitude do Papa? Claro. E o motivo é muito simples, se trata de uma carta resposta, pessoal, sem cunho doutrinário ou documento de Estado. Portanto, podemos analisar e criticar a atitude do Papa, pois a conveniência desta resposta pode ser julgada como inadequada para o momento em que vive o Brasil. A figura do Lula ainda mantem um apelo muito grande para a militância de esquerda, mesmo com todas as provas e condenações jurídicas que esta figura já tenha recebido. Apesar desta carta ser apenas uma resposta a uma provocação feita por uma primeira carta, não podemos imaginar o Papa pensando que não teria peso e seria usada politicamente esta sua resposta, que em seu teor não contém nada de ofensivo a justiça e ao Brasil.

Anúncio do Blog