STF E SENADO: REVELAM-SE OS CANALHAS

Transcorrido o pleito eleitoral, que definiu deputados, senadores, governadores e o presidente da república, o Senado Federal aprovou o reajuste nos salários dos ministros do STF (como se ganhassem pouco os coitadinhos!).

Eunício Oliveira
É uma demonstração clara e inequívoca da inescrupulosidade destes senhores e senhoras que foram eleitos na onda hipócrita do lulo-petismo. Basta lembrar que o presidente do Supremo Tribunal Federal somente está presente na Suprema Corte porque advogou para o PT durante anos, e como prêmio foi nomeado por este mesmo partido para assumir uma das cadeiras do STF. De modo extra-oficial, corre a notícia que Dias Toffoli teria conversando com o presidente do Senado, Eunício Oliveria, para que agilizasse a votação deste reajuste nos salários dos ministros da Suprema Corte. É a canalhice conjunta destas duas casas que já fora habitada por homens mais descentes e que realmente pensavam no futuro do Brasil.

Dias Toffoli
Um chefe de família, quando se vê pressionado por muitas dívidas, combina com a família a austeridade necessária para que as contas sejam saldadas. Parece que isso nem sequer passa pela cabeça destes senadores e ministros desonestos que, infelizmente, refletem o lado mais canalha que a política brasileira têm.

É um atentado ao povo brasileiro que vive em austeridade por conta da crise econômica imposta pelos desmandos dos últimos governos, além de uma ultrajante afronta a esta mesma população que vê estes servidores públicos gerir o dinheiro público em causa própria, vivendo como "marajás" em meio ao povo que luta e sofre com pouco salário e preços altos, sem mencionar os impostos que absurdamente assolam os brasileiros.

Ainda existe a esperança de que o atual presidente, Michel Temer, vete este aumento. Mas mesmo ele vetando, é inadmissível permitir que pessoas deste nível cuidem do bem público.

A política precisa no Brasil precisa mudar! É urgente que surjam homens e mulheres de caráter na vida pública. Os brasileiros merecem uma atividade política mais virtuosa.

Comentários