Destaque:

El centenario de las apariciones de la Virgem Maria en Fatima

Rosa Caroline Crespo Fernández Valderi da Silva En su visita al santuario de Fátima en 1982, San Juan Pablo II proclamaba que "a ...

Você escolheria a Monarquia como melhor sistema de governo para o Brasil?

terça-feira, 9 de maio de 2017

Lula depõe para Sérgio Moro

Nesta quarta-feira, dia 10 de maio, o juiz federal, Sérgio Fernando Moro, tomará o depoimento do mais famoso investigado, e para muitos o maior comandante deste sistema de corrupção política no Brasil. Estou falando de Luiz Inácio Lula da Silva, o famoso ídolo brasileiro da esquerda.
É difícil não escrever sobre este assunto com certa dose de paixão, pois a lavagem cerebral que este senhor fez em muitas pessoas deste país revela-se na mais absurda prova de que democracia nem sempre é sinônimo de sabedoria. E disto temos provas que nos remontam a mais de 2.000 anos.

A Operação Lava Jato com certeza já entrou para a história do Brasil como o mais claro raio de luz na justiça brasileira diante de tamanha corrupção desde o Regime de Exceção, aquele que muitos fãs do Lula gostam de chamar de "ditadura militar". Esta operação não foi criada para prender o Lula, mas para desmontar este esquema gigantesco de corrupção, que a décadas atrasa e envenena o Brasil, levando seu povo a sarjeta, relegando-nos apenas migalhas quando deveríamos nos banquetear com fartura.

Esta operação enfrenta muitos inimigos, e os piores são aqueles que tentam cerceá-la de dentro das instituições jurídicas, estaduais e federais. Lula sempre foi o agitador, o condutor da massa, mas ele só conseguiu certo exito por ajuda daqueles que detinham os meios para tornar realidade os ideais partidários e consequentemente de outros movimentos nem um pouco ligados com o bem comum do povo.

Desde muito tempo, antes mesmo do Partido dos Trabalhadores alcançarem certo poder, já escutava com receio e discordância o Sr. Lula da Silva, e fico feliz hoje pelo tempo haver-me revelado de que não havia me engando acerca deste senhor e deste partido vermelho. É uma felicidade infeliz, pois, revela aquela realidade triste e até nojenta em que o próprio povo foi cúmplice. Revela que deixamos uma ninhada de ratazanas elevarem-se acima de nós e mudarem leis, fazerem e desfazarem caminhos institucionais, na maioria das vezes apenas beneficiando seus correligionários e "superiores" poderosos mundo afora.

Não adianta eu escrever que nunca votei no PT e que por isso teria a consciência tranquila. Na verdade eu poderia ter feito mais do que apenas "não votar no PT", poderia ter estudado mais, poderia ter conversado mais, poderia ter ajudado muitos a não caírem no "canto da sereia" vermelha.

Amanhã veremos o maior engodo da história da República Brasileira sentar-se diante de um juiz para tentar convencer com seu testemunho de que é a "alma mais honesta" que este Brasil já teve.

Nenhum comentário: