Coloque seu Email e receba os novos artigos:

Delivered by FeedBurner

About

Minha foto

  • FACCAT - Faculdades Integradas de Taquara
    • Letras, 2015 [em curso]
  • PUCRS - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
    • Teologia, 2004 - 2007
  • SMME - Seminário Maria Mater Ecclesiae do Brasil
    • Filososfia, 2002 - 2003

Pesquisa:

Você escolheria a Monarquia como melhor sistema de governo para o Brasil?

sábado, 9 de julho de 2016

Sobre a renúncia de Dom Aldo di Cillo Pagotto [2]

Todos já estão a par da renúncia de Dom Aldo di Cillo Pagotto aceita pelo Papa Francisco, aqui mesmo já postei a sua Carta Aberta sobre sua renúncia.

Dom Aldo juntamente foi com Dom Robert F. Vasa e Dom Athanasius Schneider o autor do livreto "Opção Preferencial Pela Família", lançado ano passado (2015) para dar uma contribuição serena e certa a respeito da doutrina da Igreja sobre a família e questões correlatas.

Desde antes, posso dizer que a partir de 2010, Dom Aldo se tornou foco de forte pressão pela esquerda clerical e leiga que via o quanto se posicionava contra a ideologia esquerdista dentro  e fora da Igreja, especialmente expressa pelo Partido dos Trabalhadores que se preparava para eleger Dilma Rousseff como Presidente da República.

Mas além de sua tônica forte na política, denunciando a ideologia que desmantelava o Brasil, Dom Aldo foi covardemente acusado de coisas mais graves para um prelado, como o encobertamento de padres pedófilos e de que ele mesmo teria tido caso com um jovem.

“A exemplo, um blog divulgou carta difamatória, envolvendo o arcebispo e vários sacerdotes, arbitrariamente expostos ao escárnio público. As redes sociais encarregaram-se de espalhar comentários peregrinos e duvidosos. A presumida autora da carta responde em foro criminal”, conta Dom Aldo (http://www.acidigital.com/noticias/papa-aceita-renuncia-do-arcebispo-da-paraiba-e-nomeia-administrador-apostolico-53408/)

Dom Aldo, por causa desta carta assinada por Mariana José Araújo Silva, sofreu investigação severa do próprio Vaticano, pois era acusado de ter relações sexuais com um jovem de 18 anos que estaria hoje internado em clínica psiquiátrica com distúrbios mentais. Esta carta difamatória pode-se ler no Blog do Dércio (http://www.dercio.com.br/blog/integrante-da-paroquia-de-sao-rafael-denunciou-dom/). No entanto, é assaz interessante que surgiu precisamente no tempo oportuno das manifestações fortes e decididas de Dom Aldo a favor da Família e contra o Partido dos Trabalhadores em 2010, ano das eleições presidenciais que elegeram Dilma Rousseff.

No Jornal da Paraíba, na sua versão online, saiu uma matéria no dia 18/5/2016 trazendo a notícia de que uma advogada e professora, Laura Berquó, estaria acusando a Igreja Universal do Reino de Deus de financiar um ataque sistemático ("espancamento" diz a matéria) a Dom Aldo, especialmente por causa de suas manifestações contra a construção de um templo desta igreja no território de sua diocese. Esta acusação foi postada no blog Epa Hey (epahey2015.blogspot.com.br), criado pela advogada para defender os direitos das mulheres e minorias. Esta advogada foi ameaçada de processo pela Universal do Reino de Deus, conforme informa o mesmo jornal mas também ela própria no seu blog:
"fiquem a vontade porque eu mantenho tudo o que disse que vcs são os responsáveis pela difamação do Arcebispo Dom Aldo Pagotto e manterei meu testemunho" (http://epahey2015.blogspot.com.br/2016/06/a-universal-vai-me-processar.html)
Com certeza o tempo irá mostrando pouco a pouco as verdadeiras causas de tal pressão por renúncia de Dom Aldo. Sua contribuição foi significativa não somente à Diocese da Paraíba, mas para todos os católicos do Brasil que estão cansados do silêncio de seu prelados diante da ruína moral e cívil deste país.

Com a renúncia de Dom Aldo, o Administrador Apostólico da Arquidiocese da Paraíba será Dom Genival Saraiva de França, Bispo emérito de Palmares.

Nenhum comentário: