Destaque:

El centenario de las apariciones de la Virgem Maria en Fatima

Rosa Caroline Crespo Fernández Valderi da Silva En su visita al santuario de Fátima en 1982, San Juan Pablo II proclamaba que "a ...

Você escolheria a Monarquia como melhor sistema de governo para o Brasil?

quinta-feira, 14 de abril de 2016

25 anos do "renascimento" das dioceses na Rússia

13 de abril de 1991: o renascimento das dioceses católicas na Rússia completa hoje 25 anos

País de tradição cristã ortodoxa, a Rússia tem quatro dioceses católicas que, neste dia 13 de abril, comemoram os seus 25 anos de renascimento após os “70 longos anos de via-crúcis” que enfrentaram sob o regime comunista ateu:
  • em Moscou, a da Mãe de Deus, guiada por dom Paolo Pezzi;
  • em Saratov, a de São Clemente, dirigida por dom Clemens Pickel;
  • em Novosibirsk, a da Transfiguração, conduzida por dom Joseph Werth;
  • em Irkutsk, a de São José, liderada por dom Kirill Climovic.
Os quatro bispos escrevem sobre este significativo aniversário:
“Olhemos para frente e demos graças a Deus por todo o bem recebido nos últimos 25 anos! Vivamos uma novena de ação de graças e elevemos uma oração de gratidão, para que a alegria e o reconhecimento não se esfriem dentro do nosso coração”.
Em seu texto, os bispos também recordam “as páginas trágicas, mas gloriosas, da história da Igreja” na Rússia, com a destruição das suas estruturas físicas e jurídicas e as “mais cruéis perseguições” contra os fiéis, gerando, no entanto, mártires e confessores cuja memória é “um tesouro para os fiéis do século XXI”.
 
Os 70 anos de clandestinidade e perseguição chegaram ao fim a partir do encontro histórico entre o papa São João Paulo II e Gorbachev. Graças a este passo, um representante da Santa Sé, dom Francesco Colasuonno, pôde finalmente chegar a Moscou depois de sete décadas de comunismo ateu.
 
Em 13 de abril de 1991, a Igreja Católica na Rússia e nas antigas repúblicas soviéticas da Ásia Central viu finalmente as suas estruturas jurídicas serem reconstituídas naquele vasto território, em que o ateísmo tinha tentado se impor com fúria e sangue – e com retumbante fracasso.
 
Deus tinha vencido. De novo. E hoje celebramos o aniversário de mais esta vitória.

Nenhum comentário: