Destaque:

El centenario de las apariciones de la Virgem Maria en Fatima

Rosa Caroline Crespo Fernández Valderi da Silva En su visita al santuario de Fátima en 1982, San Juan Pablo II proclamaba que "a ...

Você escolheria a Monarquia como melhor sistema de governo para o Brasil?

sábado, 7 de março de 2015

Notícia para fazer chorar os historiadores e arqueólogos!

Fonte: MSN Notícias
"Estado Islâmico" destrói cidade assíria no Iraque
Combatentes da milícia radical "Estado Islâmico" (EI) saquearam e destruíram a antiga cidade assíria de Nimrud, no norte do Iraque, afirmou o governo local nesta quinta-feira (05/03).
"O EI atacou a cidade histórica de Nimrud e a demoliu com veículos pesados, apropriando-se das atrações arqueológicas datadas de treze séculos antes de Cristo", declarou o Ministério de Turismo e Antiguidades do Iraque em página oficial no Facebook.
A destruição de Nimrud veio uma semana após os radicais islâmicos terem divulgado um vídeo mostrando a destruição de antigas estátuas assírias na cidade de Mossul, segunda maior cidade do Iraque e principal bastião do "Estado Islâmico".
Uma autoridade iraquiana informou que a destruição em Nimrud teve início logo após as orações do meio-dia desta quinta-feira. "Até agora, não sabemos até que ponto a cidade foi destruída", disse a autoridade, que preferiu permanecer no anonimato.
Fundada no século 13 a.C, Nimrud é uma das joias da era assíria. A cidade situada às margens do rio Tigre fica a cerca de 30 quilômetros a sudeste de Mossul, sob controle dos insurgentes desde junho do ano passado.
O ataque provocou consternação e alarme, com alguns arqueólogos e especialistas em patrimônio histórico comparando o fato à demolição dos Budas Gigantes de Bamiyan pelos talibãs, em 2001.
"Sinto muito em dizer que todos esperavam por isso. O plano deles é destruir o patrimônio histórico iraquiano, um lugar de cada vez", disse Abdulamir Hamdani, arqueólogo iraquiano da Universidade Stony Brook em Nova York. "Hatra certamente vai ser a próxima", acrescentou, referindo-se à cidade com mais de 2 mil anos de história e Patrimônio da Humanidade da Unesco na província de Nínive.
Após os recentes incidentes em Mossul, Irina Bokova, diretora-geral da Unesco, pediu uma reunião de emergência do Conselho de Segurança das Nações Unidas e apelou ao Tribunal Penal Internacional para observar a destruição no museu da cidade.
O diretor da Unesco no Iraque, Axel Plathe, chamou a destruição desta quinta-feira em Nimrud de "mais um ataque apavorante ao patrimônio iraquiano".

Nenhum comentário: