Destaque:

El centenario de las apariciones de la Virgem Maria en Fatima

Rosa Caroline Crespo Fernández Valderi da Silva En su visita al santuario de Fátima en 1982, San Juan Pablo II proclamaba que "a ...

Você escolheria a Monarquia como melhor sistema de governo para o Brasil?

quinta-feira, 19 de março de 2015

Tolstói e a busca da verdade

Liev Nicolaievicth TolstoiTolstói realmente é fascinante na sua obra apesar de nem tanto na sua posteriora ideologia. Em realidade a literatura romântica russa contêm um fascínio que oscila entre o enriquecimento do cotidiano e fantástica descoberta do extraordinário no ordinário da vida humana.
O que me encanta em Tolstói é a facilidade com que nos ajuda a refletir sobre a existência humana, sobre questões fundamentais do ser humano. Isso o percebo desde que tive meu primeiro contato com a obra de Tostói em “A morte de Ivan Ilitch”, refletindo sobre a obsessiva ingênuidade humana em perder a vida em futilidades tidas como essenciais mas que se revelam pedras no bem viver.
Em “Ana Karenina”, encontramos esta pérola sobre a busca da verdade:
"O prazer não esta em descobrir a verdade, mas sim no esforço em buscá-la" (Ana Karenina, de Tolstói).
Quem ousa discordar com plena certeza disso? Se existe prazer na verdade ele esta na consciência do esforço realizado em tê-la, em saber que ouve esforço por buscá-la. E isso acaba por nos levar a outra certeza que o próprio Tolstói nos ajuda a ter, a de que buscar a verdade é o essencial, algo antes mesmo que a própria liberdade.
"Não alcançamos a liberdade buscando a liberdade, mas sim a verdade. A liberdade não é um fim, mas uma consequência" (Tolstói).
Isso me leva a perceber que nem sempre ter liberdade é sinônimo de busca pela verdade, pois quando se luta por liberdade sem busca antecipada pela verdade não há idoneidade naquele que exige a sua liberdade.

Nenhum comentário: