Destaque:

A retrospectiva de Brás Cubas

Tenho grande apreço por Machado de Assis, pois acredito que sua contribuição para a Literatura Brasileira foi muito além de incrementar ...

Você escolheria a Monarquia como melhor sistema de governo para o Brasil?

quinta-feira, 19 de março de 2015

Tolstói e a busca da verdade

Liev Nicolaievicth TolstoiTolstói realmente é fascinante na sua obra apesar de nem tanto na sua posteriora ideologia. Em realidade a literatura romântica russa contêm um fascínio que oscila entre o enriquecimento do cotidiano e fantástica descoberta do extraordinário no ordinário da vida humana.
O que me encanta em Tolstói é a facilidade com que nos ajuda a refletir sobre a existência humana, sobre questões fundamentais do ser humano. Isso o percebo desde que tive meu primeiro contato com a obra de Tostói em “A morte de Ivan Ilitch”, refletindo sobre a obsessiva ingênuidade humana em perder a vida em futilidades tidas como essenciais mas que se revelam pedras no bem viver.
Em “Ana Karenina”, encontramos esta pérola sobre a busca da verdade:
"O prazer não esta em descobrir a verdade, mas sim no esforço em buscá-la" (Ana Karenina, de Tolstói).
Quem ousa discordar com plena certeza disso? Se existe prazer na verdade ele esta na consciência do esforço realizado em tê-la, em saber que ouve esforço por buscá-la. E isso acaba por nos levar a outra certeza que o próprio Tolstói nos ajuda a ter, a de que buscar a verdade é o essencial, algo antes mesmo que a própria liberdade.
"Não alcançamos a liberdade buscando a liberdade, mas sim a verdade. A liberdade não é um fim, mas uma consequência" (Tolstói).
Isso me leva a perceber que nem sempre ter liberdade é sinônimo de busca pela verdade, pois quando se luta por liberdade sem busca antecipada pela verdade não há idoneidade naquele que exige a sua liberdade.

Nenhum comentário: