Destaque:

El centenario de las apariciones de la Virgem Maria en Fatima

Rosa Caroline Crespo Fernández Valderi da Silva En su visita al santuario de Fátima en 1982, San Juan Pablo II proclamaba que "a ...

Você escolheria a Monarquia como melhor sistema de governo para o Brasil?

quinta-feira, 3 de julho de 2014

Pedro: Pescador, Apóstolo e primeiro Papa

Tríduo em Honra a São Pedro - Sapiranga

Pe. Valderi da Silva

Fratres carissimi.

Sempre mative uma grande afeição por esta comunidade, tanto porque nela caminhei na minha infância e adolescência, como pelo fato dela estar sob o patrocínio deste Apóstolo, São Pedro. É de grande orgulho para esta comunidade ter semelhante padroeiro, pois dentre todos os santos, até mesmo dentre todos os apóstolos, Pedro carregou sobre si belas e comprometedoras palavras de Nosso Senhor.

Hoje, refletindo sobre nosso padroeiro, precisamos nos ater em três facetas da mesma missão que ele recebeu: PESCADOR, APÓSTOLO e PRIMEIRO PAPA.

1. São Pedro, cujo nome de nascimento era Simão, nasceu em Betsaida, na Galiléia. Era Filho de Jonas, e era pescador e casado. Pedro tinha uma profissão comum naquele tempo, pois muitos eram os que se dedicavam a pescaria, meio para seu sustento e ao mesmo tempo em que garantia o mercado para outras pessoas. Na Sagrada Escritura, percebemos que Pedro tinha uma certa “microempresa”, com sócios e colaboradores, um deles seu irmão, André. Seu trabalho árduo o fez crescer meio duro até insensível com a realidade humana. De fato, Simão era tido como um “brutamonte”, um “brigão”. Mas apesar disso, conhecia muito bem seu ofício, sendo um pescador muito experiente. Jesus certamente antevia esta eficácia de Pedro em pescar, e com certeza levou isso em consideração ao escolhê-lo, agora não mais para usar suas técnicas de pescaria para pegar peixes, mas para “pescar” homens e mulheres e colocá-los na Barca do Senhor.

Pescar requer paciência e perseverança, duas virtudes que Pedro já havia exercido parcialmente em sua vida como pescador. Não é diferente da “pescaria” para a qual Cristo o chama. Sendo pescador na Barca do Senhor, Pedro também necessita de paciência e perseverança para nunca desistir daqueles peixes que brigam para não subirem na Barca. Como batizados temos também a vocação para “pescador”, como foi Pedro. Mas para isso é necessária ter paciência e perseverança na fé, sabendo que somos trabalhadores, mas quem fará o peixe subir na Barca é Deus e no momento certo.

2. Trocando os peixes por almas, Pedro colocou-se sob a orientação de Jesus Cristo, e isto fez dele um apóstolo, ou seja, aquele que assumi a missão do próprio Mestre, aquele que serve ao Mestre nos outros, levando a todos a Verdade Revelada pelo Senhor. Pedro é Apóstolo juntamente com os outros escolhidos por Jesus, mas desde o início, Jesus demonstrou a ele que sua missão tinha um detalhe a mais, que iria andar com os outros, levando a Palavra de Deus a todos os povos e culturas, ensinando e batizando, mas seu apostolado seria marcado com o selo do “primeiro entre todos”.

Pedro foi escolhido por Jesus não porque era o melhor de todos os homens que Ele vira por onde andou, mas porque viu em Pedro o que Jesus precisava. Talvez o coração dócil e generoso que Pedro revelou depois que conheceu a Jesus tenha sido o que o Senhor viu. Podemos associar a isso, a própria caracteristica de Pedro ser pronto, decidido, pessoa que não fica “em cima do muro”, alguém pronto a deixar tudo e seguir o Mestre.

Características que um bom apóstolo também necessita, pois precisa ser como firme casa que não se abala ou se move com os vendavais das ideolgias e más interpretações, além das calúnias e incompreensões, que em nosso mundo vemos tanto.

3. Pedro - que quer dizer Cefas, ou seja, pedra, rocha - foi a solidez necessária para que Nosso Senhor constituísse sua Igreja, lugar dos filhos de Deus, nascidos pelo Batismo em nome da Santíssima Trindade. Pedro é a rocha onde foi fincada a Igreja de Cristo, por isso o Senhor disse a Ele: “Tu é Pedro, e sobre esta pedra construirei a minha Igreja, e o poder do Inferno nunca poderá vencê-la”[1]. Assim sendo, este pescador, fraco nos costumes, grosseiro no início, mas decidido como o Senhor nos chama a ser, tornou-se não somente Apóstolo, mas PRIMEIRO PAPA, o primeiro a chefiar em Nome do próprio Jesus Cristo os filhos de Deus peregrinos por este mundo.

Somos felizes, meus irmãos e irmãs, porque este Pedro, chefe da Igreja de Cristo, se perpetua em sua missão nos seus sucessores, por isso olhamos para o Papa Francisco, assim como olhávamos para Bento XVI, e vemos o mesmo Pedro que o Senhor chamou para entregar sua vida em benefício do novo Povo de Deus. Amamos o Papa porque ele assume em si a missão integral do próprio Cristo sobre a Terra. Amamos o Papa porque nele temos a garantia de que a Igreja nunca será vencida, pois o Senhor entregou as chaves do Reino dos Céus a Pedro[2] e assim, a seus sucessores.

São Pedro, chamado a ser pescador de homens, chamado a ser apóstolo e chamado a orientar os filhos de Deus. Encontramos neste homem, neste santo, um exemplo do porque o cristão têm mais razões para se alegrar em Deus, do que para reclamar, chorar e murmurar. A presença de Cristo no mundo se dá por homens e mulheres capazes de entregar sua vida por Cristo, assumindo a missão do próprio Senhor: levar a Boa Nova da Salvação a todas as almas neste mundo.

Roguemos a São Pedro para que nunca deixemos de viver nosso testemunho como cristão católico, em nossa família e em nossa comunidade.

Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo!


[1] Mt 16,18

[2] Cf. Mt 16,19

Nenhum comentário: