Coloque seu Email e receba os novos artigos:

Delivered by FeedBurner

About

Minha foto

  • FACCAT - Faculdades Integradas de Taquara
    • Letras, 2015 [em curso]
  • PUCRS - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
    • Teologia, 2004 - 2007
  • SMME - Seminário Maria Mater Ecclesiae do Brasil
    • Filososfia, 2002 - 2003

Pesquisa:

Você escolheria a Monarquia como melhor sistema de governo para o Brasil?

quarta-feira, 5 de março de 2014

Quarta-feira de Cinzas

Jl 2,12-18 2Cor 5,20-6,2 Mt 6,1-6.16-18

Pe. Valderi da Silva

Estimados irmãos e irmãs.

Hoje iniciamos um dos momentos mais fortes de nosso ano litúrgico: começamos a Quaresma, tempo muito propício para reatarmos nossa vida com Deus, momento ideal para fazermos uma verdadeira faxina em nosso espírito e o momento não é outro, é agora o momento favorável, é agora o dia da salvação (2Cor 6,2). Estimados irmãos, não podemos nos fiar no tempo que gozamos sobre a terra, somos neste dia interpelados sobre a urgência do arrependimento dos pecados e conversão verdadeira a Deus. Limpemos de nossa mente a ideia comoda de que tenho muito tempo pela frente para reatar-me com Deus e também para viver Sua Vontade. Vivamos estes dias sabendo que é agora o dia da salvação! (Quarta-feira de Cinzas, Blog VALDERI. 21/02/2012)

[A necessidade do esforço]

O cristianismo facilmente pode ser corrompido pela “momentâneidade” dos tempos atuais, levando o cristão a configurar sua vida a algum esteriótipo apresentado pelo mundo, trazendo o rótulo de “modo moderno de viver”. Este modo “moderno” de encarar a vida, não se coaduna em nada com este tempo quaresmal e consequentemente, com a vida cristã!

O ser humano sempre vai ter a tendencia de pedir ajuda sem ao menos pensar no seu merecimento pessoal. Em meio a nossas dificuldades sempre é mais fácil reclamar daqueles que não nos ajudam ou mesmo de Deus do que se portar como este povo [descrito no livro de Joel], que mesmo estando injustamente dominado agiu penitentemente para depois suplicar a Deus sua ajuda. Primeiro mostrou com o corpo, com a vida, sua atitude humilde de confiança em Deus, assim o Senhor olhou com zelo por seu povo e os perdoou (cf. Jl 2,18). (Quarta-feira de Cinzas, Blog VALDERI. 21/02/2012)

Não será para nós, hoje, também dirigido este exemplo de postura diante do poder misericordioso de Deus? Desejamos a benção e a graça divina, mas refletimos se agimos merecidamente? Não se trata de ver a Deus como um mercador, que dá conforme o que recebe, mas é preciso medir com sua justiça, que pede CONTRIÇÃO, pede HUMILDADE, pede CONVERSÃO!

[O esforço bem orientado]

Como pessoas que possuem os pés sobre este mundo, sabemos que andamos muitas vezes as cegas, sem perceber que as coisas mais sutís nos podem desviar do rumo. A vida cristã, especialmente neste tempo quaresmal, fica fragilizada por conta do mundo em que vivemos.

Neste caminho quaresmal [...] somos presas fáceis de nossos vícios e tentações. Jesus nos fala em seu evangelho para que tenhamos cuidado para não praticar a justiça na frente dos homens (v.1). É uma situação muito tentadora para aquele que normalmente esta sendo visto pelos outros. Mas de que adianta me preocupar com a visibilidade de minhas obras espirituais sendo que elas têm como objetivo serem vistas apenas por Deus? E acaso Deus as verá com bons olhos sabendo que me preocupei mais com os outros do que com os olhos Dele? Nossa fé deve assumir esta importante característica, a de ser discretos na execução de nossas obras de caridade e justiça. (Quarta-feira de Cinzas, Blog VALDERI. 21/02/2012)

O esfoço que já percebemos ser necessário neste tempo quaresmal deve ser bem orientado, pois mesmo aquela obra de caridade, aquele conselho que se deseja deixar aos irmãos, merece cuidado de nossa parte, pois, nos ensina o Catecismo da Igreja Católica, que o fim não justifica os meios. Quando se acrescenta uma intenção má, o ato bom em si torna-se mau (CIC 1753), e assim, mesmo a intenção sendo boa, mas o meio mau, o resultado vai ser um mau moral. É neste prisma, especialmente, que nossa vida cristã fica fragilizada neste tempo quaresmal, pois é notória e urgente uma boa orientação sobre como exercer a vida cristã no mundo de hoje, em meio a tantos horrores, a tantas ideologias, a tantas opiniões prepotentes, no meio de tanta negligencia quanto ao merecimento pessoal através do esforço em buscar viver a Verdade que é Jesus Cristo Nosso Senhor.

[O testemunho cristão é consequencia do esforço]

O testemunho cristão é consequencia deste esfoço por viver a vida de Cristo, por imitar seu viver, por ser realmente cristão. O Santo Padre Francisco, em sua mensagem para a Quaresma deste ano, fala especialmente disto: do testemunho.

[...] o cristão é chamado a levar a todo o ambiente o anúncio libertador de que existe o perdão do mal cometido, de que Deus é maior que o nosso pecado e nos ama gratuitamente e sempre, e de que estamos feitos para a comunhão e a vida eterna. O Senhor convida-nos a sermos jubilosos anunciadores desta mensagem de misericórdia e esperança. (Papa Francisco: MENSAGEM PARA QUARESMA DE 2014)

Misericódia e Esperança, duas caracterísitcas que exalam de uma vida cristã bem orientada, regida pelo Evangelho de Nosso Senhor. O tempo quaresmal, que ora iniciamos, esta precisamente para nos alinharmos com Cristo; para orarmos com Ele; para jejuarmos com Ele; para nos penitenciarmos com Ele; para agirmos com Ele; para aprender que o sofrimento nesta vida deve ser vivido com Cristo, para que, conforme nos alimenta a esperança, possamos viver com Ele na vida Eterna.

O testemunho cristão, que destaca o Santo Padre, só tem uma fonte, o Cristo de Deus Pai. Portanto, não tornemos este tempo quaresmal estéril para nós, nos fixando em futilidades que desvalorizam ao ponto de “morte espiritual” o favorável tempo para nossa salvação. Através de nossa oração – atenciosamente mencionada por Jesus no evangelho – e através de nossas obras de piedade, misericórdia e caridade, não nos esquivemos de buscar a imitação perfeita de Cristo nestes dias, pois não perderá tempo quem procure verdadeiramente imitar a Jesus Cristo nestas atitudes evangélicas.

Caríssimos irmãos. Nossa oração é o princípio do nosso exercício de conversão. Ouçamos a voz de Cristo no evangelho: quando orardes, não sejais como os hipócritas, que gostam de rezar em pé, nas sinagogas e nas praças, para serem vistos pelos homens. Sabendo como deve ser nossa oração tentemos neste tempo torná-la diálogo vivo com Cristo, deixando que Ele saiba de nossas misérias e alegrias, de nosso esforço vitorioso e de nossas derrotas. (Quarta-feira de Cinzas, Blog VALDERI. 21/02/2012)

Que Deus nos auxilie a aproveitar bem este tempo quaresmal.

Jesus Cristo - penitencia e jejum

Nenhum comentário: