Destaque:

A retrospectiva de Brás Cubas

Tenho grande apreço por Machado de Assis, pois acredito que sua contribuição para a Literatura Brasileira foi muito além de incrementar ...

Você escolheria a Monarquia como melhor sistema de governo para o Brasil?

terça-feira, 20 de agosto de 2013

DIES NATALIS – XXX ANNOS

Sou muito reservado quanto a alguma comemoração que tenha minha vida ou algo meu como referência, sendo que o dia de meu nascimento, isto é, hoje, 20 de agosto, nunca foi um dia muito tranquilo para mim, visto esta minha dificuldade em aceitar “normalmente” saudações e aplausos.

Gosto deste meu jeito, sem desejar muitas louvações e agradecimentos, não que considere isto ruim, nem utilizo isto como medida para julgar os demais. Apenas gosto de ser assim!

Mas neste ano, em especial, desejo além de agradecer mais uma vez a Deus pelo já imerecido dom da vida, manifestar a lembrança sempre permanente em minhas orações, daquelas inúmeras pessoas que, mesmo conhecendo apenas uma parcela de mim, nunca deixam de regalar-me seus votos de felicidades além das orações tão necessárias. São tantos, que sinto-me um tremendo injusto ao tentar lembrar-me de todos, pois de modo infeliz, não posso depositar plena confiança em minha memória.

Agradecer sempre significou para mim demonstrar justiça, exercer esta virtude tão necessária ao ser humano temente a Deus, e que busca a salvação eterna. Digo-lhes que durante estes anos aprendi ser fácil agradecer a Deus, aos familiares e aos amigos, mas difícil agradecer aos que não estam em minha roda de amigos e familiares. Hoje quero agradecer a eles, a todos que não se enquadram – segundo um convecionalismo – nos “familiares”, “amigos” e “conhecidos”! Alguns que até podem alimentar algum rancor, mágoa ou outro sentimento estranho ou inadequado. A vocês meu MUITO OBRIGADO!

São trinta anos que Deus generosamente, em sua imensa bondade, concede-me, esperando a minha conversão real e definitiva a Sua vontade. Sou-lhe grato pela paciência, pois até agora espera de mim uma atitude convicta de abandono do mundo para enfim, poder viver somente Nele. Não sei se terei tempo suficiente para alcançar este estado de vida, por isso renovo minha súplica a Ele, para que não deixe-me perecer neste mundo sem o mínimo para viver em Sua glória eternamente.

Neste dia de oração, suplico a Deus que abençoe bondosamente minha família, especialmente minha mãe e meus irmãos; que mova todos os fiéis desta paróquia São João Batisita onde vivo, ao verdadeiro encontro com o Senhor, especialmente na vida sacramental, formando-os para uma verdadeira consciência cristã.

Senhor, Rei da Criação. Sua Majestade faça-nos amar-Vos sem medida, pois somente o verdadeiro amor ama infinitamente. Dai-me um coração diltado como o universo, incapaz de odiar, ficar magoado, invejar, se orgulhar, se envaidecer, escolher, preterir. Seu amor coadune-se ao meu sangue tornando-se Vós mesmos a amar. Amém.

(Pe. Valderi da Silva)

Nenhum comentário: